segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Resenha: Condicionador de Castanha, da Ewé

Conheci o Condicionador de Castanha, da Ewé, por intermédio de uma amiga que é também leitora do Tantas Plantas e consumidora da Ewé. Ela me recomendou muito esse produto, e me deu um pouco para experimentar (muito obrigada de novo, Izabel!). Esse condicionador tem deixado o meu cabelo macio e desembaraçado desde a primeira aplicação. Estou no meu terceiro frasco e continuarei readquirindo-o mais vezes.

Pode ser usado de 3 maneiras: como condicionador, como finalizador e cosmético para hidratação capilar. Como os meus fios não apresentam tendência ao ressecamento, uso o produto apenas como condicionador. É indicado para diversos tipos de cabelo: seco, ressecado, misto, normal. A Ewé tem um grande número de clientes com cabelos cacheados e crespos, e também dá resultados notáveis em cabelos lisos (como o meu) e ondulados (como o da minha amiga).

Condicionador de Castanha, da Ewé
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

É elaborado em Salvador por Mona Soares, uma artesã formada em Farmácia e que sempre teve interesse em cosmética e medicina naturais. Ela descreve o produto da seguinte forma:
“Condicionador feito artesanalmente, livre de silicones, derivados do petróleo, conservantes agressivos (como os parabenos, liberadores de formol, BHT, TBHQ, BHA, etc.), umectantes de origem sintética e  ingredientes de origem animal. Possui uma grande quantidade de ingredientes e extratos naturais, óleos orgânicos, proteína do trigo e umectantes naturais. Destaca-se o óleo de castanha-do-pará, um excelente condicionador, doador de brilho e nutrição aos cabelos secos, danificados, quimicamente processados e tingidos.”
A composição está disponível tanto na loja quanto no rótulo: 
Água, metossulfato de behentrimônio, óleo de castanha-do-pará*, óleo de pracaxi*, óleo de palmiste*, óleo de coco fracionado, óleo de jojoba, álcool cetílico, sorbitol, glicerina vegetal, extrato de mutamba, extrato de umburana, extrato de aloe vera, proteína hidrolisada do trigo, pantenol, etilexilglicerina, ácido benzóico, álcool benzílico, ácido cítrico, óleo-resina de alecrim, resina de benjoim, alfa-bisabolol.
* Ingredientes orgânicos.
O metossulfato de behentrimônio (behentrimonium methosulfate, no padrão INCI) presente na fórmula é um ingrediente sintético com classificação de risco 1 — baixo risco, sinalizado com a cor verde — na base de dados do EWG (Environmental Working Group).

Condicionador de Castanha consiste num líquido homogêneo e não muito espesso, cor de marfim. O cheiro suave e levemente doce me agrada muito, e é dado pelo aroma natural dos próprios ingredientes, com predominância da castanha-do-pará (também chamada de castanha-do-brasil). Esse produto capilar não conta com óleos essenciais. O texto “Perguntas frequentes à Ewé Cosméticos Naturais e Artesanais II” menciona que esse condicionador é um dos produtos da marca que podem ser usado por crianças, bebês e grávidas. É também adequado para low poo e no poo. Não é testado em animais e não contém ingredientes de origem animal.

Condicionador de Castanha, da Ewé
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

Está custando R$37,00 na loja virtual da Ewé (http://ewe.tanlup.com/), que faz entregas em todo o Brasil. Minhas compras sempre chegaram direitinho aqui no Rio de Janeiro, pelo correio. A embalagem vem com 250ml, e é de plástico âmbar bem escuro, quase preto, o que evita consideravelmente o contato do o conteúdo com a luz. A tampa é preta e do tipo flip-top, que permite dosar bem a quantidade de produto a ser obtida a cada vez.

No meu cabelo comprido e não especialmente volumoso, o rendimento é muito bom, e uma porção um pouco maior do que a mostrada na foto acima é suficiente para espalhar nas pontas. Para contextualizar a imagem: a amostra foi colocada numa superfície pequena, de 3,5cm de diâmetro.

O rótulo principal é de papel bordô, com letras brancas. Há um segundo rótulo atrás, menor, branco com letras pretas. Juntos, abrangem os dados fundamentais: nome, logomarca, composição completa, volume, modo de usar e validade — que é de 12 meses, sendo recomendado usar o condicionador dentro de 3 meses após a abertura da embalagem. Gosto muito da identidade visual dos cosméticos da Ewé e da abordagem objetiva da comunicação da marca.

Informações detalhadas sobre a empresa e a sua fundadora estão publicadas no meu texto “Resenha: Manteiga de Murumuru, da Ewé”.

Outra resenha sobre o Condicionador de Castanha pode ser encontrada no blog Lookaholic. E Soraia Oliveira conta que o produto deixa o seu cabelo mais cacheado e hidratado, na seção “Dica da Leitora” do blog Projeto Beleza Saudável.

ATUALIZAÇÃO, 13/01/2016: Por precaução, a tampa do frasco vinha com lacre inviolável, igual ao que vemos em produtos farmacêuticos líquidos, e era acompanhada por uma segunda tampa preta, do tipo flip-top. Diante da constatação de que o condicionador não derrama durante o transporte pelo correio, o produto passou a ser enviado apenas com a tampa flip-top, vedada com fita washi, reduzindo o uso de plástico.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

LEIA TAMBÉM:

“Resenha: Sabonete de Calêndula, da Ewé”
“Resenha: condicionador Shine & Care Hair Conditioner, da Lavera”
“Resenha: xampus e condicionadores da John Masters Organics”
“Resenha: Sabonete Argila Vermelha e Aloe Vera, da Reserva Folio”
“Resenha: óleo de jojoba orgânica, da Balm Balm e da Desert Essence, e óleo de coco orgânico, da Dr. Orgânico — para o cabelo, o corpo e o rosto”

domingo, 3 de janeiro de 2016

Resenha: bálsamo para rosto Blue Beauty Balm, da Isa’s Restoratives

Um dos melhores produtos para o rosto que já utilizei é o Blue Beauty Balm (Bálsamo de Beleza Azul, em tradução livre), da Isa’s Restoratives, uma marca artesanal e orgânica norte-americana, criada por uma brasileira radicada em Nova York. Suavizante, nutritivo, calmante e anti-inflamatório, esse bálsamo tem uma formulação orgânica100% natural e sem testes em animais, com destaque para ingredientes especiais como óleo de gergelim orgânico, manteiga de murumuru orgânico, manteiga de cupuaçu orgânico, óleo de semente de chia orgânica, óleo de farelo de arroz orgânico, óleo de borragem orgânica e óleos essenciais terapêuticos e caros como os de camomila azul, semente de cenoura e néroli, todos também orgânicos.

Blue Beauty Balm, da Isa’s Restoratives
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

Experimentei o bálsamo pela primeira vez em julho de 2015, logo após quatro voos que me levaram do Rio de Janeiro a Kona, no Havaí. A viagem consumiu 20 horas de voo e outras tantas dentro de aeroportos, esperando pelas conexões, com estresse, cansaço e excesso de ar condicionado, e tive receio dos possíveis efeitos de tudo isso sobre a minha pele atópica. Felizmente eu havia encomendado, no ótimo site multimarcas Aurora Beauty, uma amostra do Blue Beauty Balm, que chegou antes de mim no endereço em que fiquei no Havaí. Aplicando esse bálsamo junto com o Creme Facial Noturno de Rosas, da marca brasileira Ikove, que eu havia levado na mala, meu rosto não ficou com qualquer dano, e pude aproveitar plenamente as férias ensolaradas.

Meses depois, mencionei o bálsamo no texto “Loja virtual: Aurora Beauty” e entrei em contato com a marca para elogiar o produto. Isa Brito, a fundadora da Isa’s Restoratives, contou que havia aperfeiçoado a fórmula, e gentilmente me enviou uma unidade do Blue Beauty Balm em tamanho normal. Venho usando-o diariamente, há três semanas e com excelentes resultados, logo após o Creme de Vitaminas, da brasileira Carol Cronemberger. Estou com 40 anos, e cada vez mais vejo que o melhor procedimento para hidratar a minha pele mista é utilizar dois tipos de produto (sempre naturais, com ingredientes orgânicos): um creme que contenha água ou hidrolatos em sua composição, e um bálsamo ou um óleo vegetal, fazendo um reforço nas partes mais secas.

Blue Beauty Balm possui uma linda cor azul clara, que pode ser vista através da embalagem de vidro incolor e transparente, com capacidade para 30ml, tampa de plástico preto e rótulos brancos. Acondicionada num saquinho de tecido branco, forma um conjunto minimalista e elegante. Essa coloração rara é dada naturalmente pelo óleo essencial de camomila azul orgânica, que alivia e refresca peles inflamadas e alérgicas.

Blue Beauty Balm, da Isa’s Restoratives
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

Com um aroma delicado, deliciosamente relaxante, e uma textura macia, o Blue Beauty Balm tem sido ideal para usar à noite, no rosto todo, no pescoço e no colo. Aproveito o momento para fazer uma automassagem e abrandar tensões relacionadas ao bruxismo que me acompanha há um bom tempo. O bálsamo deixa a pele luminosa, agradável e equilibrada. Tem se mostrado muito útil também para proteger a pele das mudanças bruscas de temperatura e umidade, causadas pelo uso intensivo de ar condicionado — um artigo essencial nos dias bonitos e terrivelmente quentes de verão que estamos tendo no Rio ultimamente. Tudo indica que será especialmente reconfortante nas estações mais frias.

É um produto efetivamente terapêutico. Dez dias atrás, eu estava salteando legumes numa frigideira, quando fui queimada por uma gota de óleo muito quente, e o Blue Beauty Balm trouxe um alívio imediato. Continuei passando-o na queimadura, duas vezes por dia. A pele se recuperou perfeitamente, e não senti mais nenhuma dor.

Copiei abaixo a lista completa de ingredientes, e acrescentei os termos correspondentes em português.
Sesame oil* / óleo de gergelim*, murumuru butter* / manteiga de murumuru*, cupuaçu butter* / manteiga de cupuaçu*, babassu oil* / óleo de babaçu*, chia seed oil* / óleo de semente de chia*, andiroba oil* / óleo de andiroba*, rice bran oil* / óleo de farelo de arroz*, marshmallow* / alteia*, yarrow** / mil-folhas**, beeswax / cera de abelha, borage seed oil* / óleo de semente de borragem*, rosemary extract* / extrato de alecrim*, essential oils of blue chamomile* / óleos essenciais de camomila azul*, lavender* / lavanda*, carrot seed* / semente de cenoura*, neroli* / néroli*.
Gluten-free / sem glúten.
* Signifies organic / * significa orgânico.
** Signifies wildcrafted / ** significa colhido em seu habitat original.
A validade é de 8 a 12 meses, sendo que o produto pode permanecer bom para uso mesmo após mais tempo, graças ao extrato de alecrim, entre outros componentes. Está custando US$60,00, tanto no site da Isa’s Restoratives (http://isasrestoratives.myshopify.com/) quanto na loja online Aurora Beauty (http://www.aurorabeauty.com/). Ambas fazem envios para o mundo todo. O preço condiz com a excepcional qualidade e o alto rendimento do Blue Beauty Balm.

Isa Brito nasceu no estado de São Paulo e passou uma grande parte da sua infância numa fazenda em Minas Gerais, na qual aprendeu a cuidar dos animais e das hortas, e absorveu conhecimentos sobre plantas medicinais. Vive há muitos anos no Brooklyn, em Nova York, onde aprimorou essa base com estudos sobre herbalismo. Quando sua filha começou a se interessar por cosméticos e maquiagem, Isa notou que as marcas convencionais frequentemente usam ingredientes nocivos, e decidiu desenvolver produtos em casa, atraindo o interesse de amigos e parentes, que logo os recomendaram para outras pessoas. Com o lançamento do site http://www.isasrestoratives.com/, chegaram clientes de outras áreas dos Estados Unidos. Há três anos, saiu do emprego que tinha e passou a se dedicar integralmente à sua marca.

Foi um prazer tirar dúvidas com ela por email (info@isasrestoratives.com). Acessível, sofisticada e muito simpática, Isa Brito tem um amor pelo trabalho, uma experiência e uma dedicação que são evidentes. Várias plantas utilizadas são cultivadas em seu jardim, outras são colhidas na natureza, de forma sustentável. Todos os produtos da Isa’s Restoratives são elaborados à mão, em lotes reduzidos, dando preferência a fornecedores pequenos, conscienciosos e locais, com certificação orgânica ou fair trade.

Comprei meu presente de Natal para mim mesma no site da marca. Não vejo a hora de receber minha encomenda, trazida junto com pedidos de outros clientes pela própria fundadora, que virá ao Brasil na semana que vem. Os pacotes serão enviados pelo correio brasileiro, com frete gratuito.

OBSERVAÇÃO: Conforme informei nesse texto, usei esse bálsamo pela primeira vez e o citei no blog após usar uma amostra que foi encomendada por mim, como parte de uma compra que fiz numa loja virtual. Posteriormente, recebi o produto em tamanho normal, gentilmente enviado pela marca, sem custo algum. Escrevi essa resenha e adquiri outros produtos porque fiquei efetivamente muito satisfeita com os resultados, o atendimento e a proposta da marca.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

LEIA TAMBÉM:

“12 ingredientes que devem ser evitados”
“Resenha: Sabonete de Massoia, da Ewé”
“Resenha: sais de banho Moroccan Rose Bathing Salts, da Ravenscourt Apothecary”
“Férias no Havaí, parte 2: restaurantes, produtos orgânicos e outras compras na Big Island”
“Bruxismo e massagem com os bálsamos Mugwort Balm e Sweet Birch Balm, da Phoenix Botanicals”

sábado, 2 de janeiro de 2016

Resenha: óleo de jojoba orgânica, da Balm Balm e da Desert Essence, e óleo de coco orgânico, da Dr. Orgânico — para o cabelo, o corpo e o rosto

Meu primeiro contato com o conceito de tratamento pré-xampu (também conhecido como umectação) ocorreu em 1996. Numa viagem pela Inglaterra, comprei uma máscara de azeite de oliva com argila cujas instruções de uso diziam que ela devia ser aplicada no cabelo seco e removida no banho após 20 minutos, lavando os fios normalmente. Adorei o resultado e o procedimento, apesar de ser completamente diferente do que eu estava acostumada — as máscaras de hidratação convencionais daqui costumam ser usadas na ordem inversa, com o cabelo molhado e já lavado.

Lembrei dessa experiência quando comecei a fazer umectação com óleos vegetais orgânicos, em 2011. Continuo mantendo esse hábito, tanto no couro cabeludo (à moda indiana) quanto apenas nos fios. Tento fazer o tratamento uma vez por semana, em casa. Nos últimos meses, tenho ficado muito satisfeita com uma mistura de 1 parte de óleo de jojoba orgânica e 2 partes de óleo de coco virgem e orgânico. Utilizo-a no cabelo, no rosto e no corpo.

Óleo de jojoba orgânica, da Desert Essence e da Balm Balm
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

Meus óleos de jojoba orgânica são o Organic Jojoba Oil, da marca norte-americana Desert Essence, e o Jojoba Base Oil, da marca inglesa Balm Balm. Comprei o primeiro na iHerb (http://www.iherb.com/; mais informações sobre o site em “Loja virtual: iHerb”) e o segundo na Feel Unique (http://www.feelunique.com/; mais informações em “Loja virtual: Feel Unique”). As duas lojas entregam no Brasil, pelo correio. Já fiz várias compras em ambas.

Os dois itens possuem a mesma composição: óleo de jojoba (Simmondsia chinensis) orgânica. São prensados a frionão contêm aditivos e não são testados em animais. São produtos veganos100% naturais100% orgânicos; o óleo da Desert Essence é certificado pela USDA, já o óleo da Balm Balm é certificado pela Soil Association.

O óleo de jojoba na verdade é uma cera líquida, que pode se solidificar e se tornar opaca em baixas temperaturas. A coloração é amarela e intensa, como se pode ver na foto acima — o frasco da direita é incolor e translúcido, então a cor que se vê é do óleo propriamente dito. Tem um aroma discreto e característico, que acho mais agradável do que desagradável. Bastante estável, não se deteriora com facilidade. De acordo com informações dadas nos sites das duas marcas, esse óleo vegetal hidrata sem deixar resíduos (inclusive após o barbear), limpa poros obstruídos, ajuda a evitar a descamação do couro cabeludo, é adequado para todos os tipos de pele (até mesmo as sensíveis) e é indicado também para o cabelo. Não deve ser ingerido. O óleo de jojba é extraído das sementes de um arbusto nativo do sudoeste norte-americano.

Organic Jojoba Oil, da Desert Essence, vem numa garrafinha de plástico, sem cor e sem BPA (bisfenol-A), com tampa plástica marrom, do tipo flip-top, contendo 118ml. Está custando US$11,99 na iHerb. O Jojoba Base Oil, da Balm Balm, vem numa garrafinha de vidro âmbar, com tampa de plástico preto, e 100ml. Custa £12,60 na Feel Unique. Ambos possuem validades longas, de anos. As duas embalagens são boas para reutilização, e a da Balm Balm é superior, por ser de vidro, escura e melhor para transportar em viagens, pois não vaza. Já procurei óleo de jojoba orgânica em lojas nacionais e só o encontrei no site brasileiro da marca alemã Alva. O preço do vidro de 125ml é de R$98,90. É certificado pela Ecocert.

Óleo de coco orgânico, da Dr. Orgânico
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

Já o Óleo de Coco Virgem Orgânico que uso é da marca brasileira Dr. Orgânico, que importa o produto das Filipinas. Possui certificação orgânica do USDA, da Ecocert e do SisOrg (Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Aprecio o aroma suave do óleo de coco dessa marca. Contém um único ingrediente: óleo de coco (Cocos nucifera) orgânico. Também é um produto vegano100% natural100% orgâniconão contém conservantesnão é testado em animais e não é refinado, e sim prensado a frio. Tem longa validade.

Pode ser ingerido e usado em receitas culinárias. O óleo de coco é incolor e se torna sólido e opaco em temperaturas abaixo de 27 graus. Para que ele volte a ser líquido e transparente, basta colocar o vidro num recipiente com água morna por alguns minutos. Somado ao óleo de jojoba, permanece líquido em dias mais amenos.

Está disponível em vários tamanhos. O pote que aparece na foto é de vidro sem cor, com tampa de rosquear feita de metal. Contém 300ml de óleo de coco orgânico e custa R$39,00 na loja virtual da Dr. Orgânico (http://loja.dr-organico.com.br/). Rende muitas e muitas aplicações, e é ideal para reutilizar na cozinha. Compro na Loja Orgânica, que integra o Circuito Carioca de Feiras Orgânicas (o telefone para informações e agendamento de entregas é (21) 3238-5190), e na Casa Vitana (Rua João Lira 98, Leblon, telefone (21) 2540-5303).

Quanto às formas de usar a combinação de 1 parte de óleo de jojoba orgânica e 2 partes de óleo de coco virgem e orgânico, as minhas favoritas são:

  • Umectação: Espalho com os dedos aproximadamente 5ml da mistura no couro cabeludo e nas pontas dos cabelos, massageando lentamente. No procedimento, os óleos acabam cobrindo também o comprimento dos fios. Pode-se usar uma quantidade maior, mas prefiro não exagerar. Eventualmente coloco os óleos somente no cabelo. Depois de uma hora — ou menos, se estiver com pouco tempo —, enxáguo o excesso de óleo no banho, com água morna, e uso os meus produtos capilares habituais: xampu sólido (um tipo de sabonete natural que pode ser utilizado no cabelo) e condicionador. Deixo secar naturalmente. Ao final, o cabelo fica fortalecido, maleável e bem tratado. Em geral, uma aplicação de xampu sólido é suficiente para mim. Acho que isso se deve à estrutura do meu cabelo, à minha técnica de massagem e lavagem, e ao meu chuveiro, que é razoavelmente potente. Lavo o meu cabelo com sabonetes naturais e artesanais diariamente, desde dezembro de 2011. A aplicação é bastante simples: passo a barra de sabonete na cabeça bem molhada, como se estivesse pintando faixas (com atenção especial à parte de trás, perto da nuca), em seguida massageio com as pontas dos dedos, levando a espuma por todo o comprimento do cabelo, aguardo um minuto e enxáguo com água morna.
  • Remoção de maquiagem: Passados na pele com um chumaço de algodão ou um lenço de papel, sem esfregar, os óleos retiram toda a maquiagem, incluindo máscara para cílios.
  • Hidratação: Depois de testar várias formas de hidratação, percebi que o melhor para a minha pele com tendência a dermatite atópica é passar uma loção e em seguida óleos ou manteigas vegetais nas áreas mais ressecadas, como as pernas, os joelhos, os cotovelos e as bochechas. O óleo de jojoba e o óleo de coco são ótimos para fazer esse reforço e manter a pele saudável e livre de lesões.
  • Depilação: Os dois óleos me dão bons resultados tanto no momento de depilar, facilitando muito o deslizar da lâmina, quanto após a depilação, deixando a pele macia e com um leve brilho acetinado.
  • Massagem: Gosto bastante dessa mistura de óleos para fazer massagens corporais e faciais (com ou sem óleos essenciais). São óleos carreadores muito usados em aromaterapia e na perfumaria artesanal — principalmento o óleo de jojoba.

Tanto o óleo de jojoba orgânico quanto o óleo de coco virgem e orgânico desempenham bem as funções mencionadas se forem usados individualmente, mas para mim funcionam ainda melhor quando mesclados. Gosto de somar o óleo de jojoba ao óleo de coco pelas seguintes razões:

  • Acho mais fácil tirar o excesso da mistura do cabelo, em comparação com os óleos separados.
  • Sinto que essa combinação é mais facilmente absorvida pela pele.
  • Fazendo uma sinergia com os dois óleos, aproveito os benefícios de ambos.
  • Amo o cheiro natural do óleo de coco, e esse é o aroma predominante da sua combinação com o óleo de jojoba.

Cada pessoa tem um conjunto específico de características e preferências. Outros óleos vegetais podem usados para as mesmas finalidades, e o guia “Aromaterapia: onde encontrar óleos vegetais orgânicos” pode ser útil para quem também tem interesse em opções orgânicas. A título de referência: meu cabelo é normal, com tendência à oleosidade na raiz, liso, castanho escuro e mais grosso do que fino; minha pele é seca no corpo e mista no rosto, com nariz oleoso e bochechas secas. Tenho conseguido cuidar bem da minha pele atópica com produtos orgânicos e a adoção de medidas para tornar a minha rotina mais saudável e menos estressante; os detalhes podem ser vistos no texto “Meu relato sobre dermatite atópica e o uso de produtos naturais com ingredientes orgânicos”.

OBSERVAÇÃO: Alergias e irritações na pele podem ser desencadeadas por uma infinidade de substâncias. Antes de começar a usar qualquer produto, inclusive os naturais e orgânicos, convém fazer um teste, aplicando uma camada numa área como o antebraço, perto da dobra do cotovelo, e observando se ocorre alguma reação durante o contato com o produto por um grande número de horas.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Resenha: produtos hidratantes da Linha de Calêndula da Weleda — para bebês e crianças (e adultos também)

Uma das minhas melhores descobertas nos últimos tempos foi conseguir evitar e tratar lesões de dermatite atópica com a Linha de Calêndula, da marca suíça e antroposófica Weleda, sem precisar usar medicamentos. Todos os artigos dessa linha são realmente naturais, e contêm óleos orgânicos de amêndoa e de gergelim, além de extratos orgânicos de flores de calêndula e de flores de camomila, que mantêm a pele hidratada, acalmada e protegida, e são cultivados em campos próprios de agricultura biodinâmica. Não possuem conservantes sintéticos, perfumes artificiais, derivados de petróleo, ftalatos e corantes, entre outros ingredientes polêmicos. Ao mesmo tempo, os prazos de validade são relativamente longos, de alguns anos. Os produtos não são testados em animais, e foram elaborados para a pele delicada de bebês (incluindo recém-nascidos) e crianças; ao mesmo tempo são excelentes para a minha pele adulta e propensa ao ressecamento. Dermatologicamente testados, são adequados para peles sensíveis.

LOÇÃO HIDRATANTE CORPORAL DE CALÊNDULA

Na minha experiência de pessoa leiga com eczema atópico bem controlado, uma prática fundamental é hidratar a pele inteira com bastante frequência (faço isso três vezes ao dia: imediatamente após cada banho e, nas áreas mais críticas, mais uma vez antes de dormir), usando cosméticos orgânicos. Essa recomendação sobre a frequência foi dada há anos pela minha dermatologista, e noto que esse procedimento me dá muito mais resultado do que usar um hidratante extremamente potente somente uma vez por dia.

Loção Hidratante Corporal de Calêndula, da Weleda
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

No último semestre, a Loção Hidratante Corporal de Calêndula, da Weleda, tem sido o meu hidratante favorito. É certificada pela Natrue e formulada com ingredientes 100% naturais e 99% orgânicos.

A loção é cremosa e branca, e possui a consistência e a composição ideais para deixar a pele bem hidratada e confortável, e ao mesmo tempo nada gordurosa, mesmo no calor intenso que tem feito aqui no Rio de Janeiro, com a proximidade do verão. O aroma suave e relaxante, proveniente de óleos essenciais, me agrada muito, e não se assemelha às fragrâncias tipicamente associadas a produtos convencionais para bebês.

Copiei a seguir a lista completa de ingredientes e acrescentei os termos correspondentes em português.
Water (aqua) / água, Sesamum indicum (sesame) seed oil / óleo de semente de gergelim, Prunus amygdalus dulcis (sweet almond) oil / óleo de amêndoa doce, glycerin / glicerina, alcohol / álcool, glyceryl stearate SE / estearato de glicerila SE, cetearyl glucoside / glicosídeo cetearílico, hydrogenated coco-glycerides / glicerídeos hidrogenados de coco, Calendula officinalis flower extract / extrato de flores de calêndula, Chamomilla recutita (matricaria) flower extract / extrato de flores de camomila, beeswax (cera alba) / cera de abelha, Theobroma cacao (cocoa) seed butter / manteiga de cacau, xanthan gum / goma xantana, glyceryl caprylate / caprilato de glicerila, fragrance (parfum)* / fragrância (perfume)*, limonene* / limoneno*, linalool* / linalol*, geraniol* / geraniol*, citral* / citral*.
* from natural essential oils / * de óleos essenciais naturais.
O produto está custando R$84,90 na loja virtual brasileira da Weleda (http://www.weleda.com.br/), que entrega pelo correio em todo o país. Comprei lá muitas vezes e nunca tive qualquer problema. Também já tirei dúvidas no SAC e fui muito bem atendida. Vem num frasco de 200ml, feito de plástico resistente, na cor branca, com desenho ergonômico, um rótulo enfeitado com flores de calêndula e uma joaninha, e uma tampa laranja muito boa, do tipo flip-top. Algumas vezes por ano, o site faz promoções, e aproveito essas ocasiões para manter essa linha em estoque aqui em casa.

ÓLEO HIDRATANTE DE CALÊNDULA

Minhas pernas são mais secas do que o resto do meu corpo, por isso costumo reforçar a hidratação nessa região com manteigas e óleos vegetais, ou mesmo uma camada adicional da loção que eu estiver usando. O Óleo Hidratante de Calêndula, da Weleda, é uma ótima opção de reforço, e também é excelente para fazer massagem em bebês, crianças e até adultos.

Vem num frasco igual ao da Loção Hidratante Corporal de Calêndula, com 200ml, e custa R$ 94,90 no site da marca. O óleo tem uma cor clara, amarelada, e um perfume natural ainda mais leve do que o da loção. É fácil de espalhar e não demora muito a ser absorvido pela pele. Dá uma sensação de maciez e bem-estar.

Esse produto é vegan, 100% natural, 99% orgânico e certificado pela Natrue. A composição está anotada abaixo.
Sesamum indicum (sesame) seed oil / óleo de semente de gergelim, Prunus amygdalus dulcis (sweet almond) oil / óleo de amêndoa doce, Calendula officinalis flower extract / extrato de flores de calêndula, Chamomilla recutita (matricaria) flower extract / extrato de flores de camomila, fragrance (parfum)* / fragrância (perfume)*, limonene* / limoneno*, linalool* / linalol*, geraniol* / geraniol*, citral* / citral*.
from natural essential oils / * de óleos essenciais naturais.
Quando a nossa filha era bebê, meu então marido e eu fazíamos shantala nela com o Óleo Hidratante de Calêndula. Eram momentos preciosos para todos nós. Aprendemos essa técnica de massagem com a Cláudia Mariante, do Grupo de Gestantes (http://www.grupodegestantes.com.br/), que frequentamos quando eu estava grávida, fazendo aulas de ioga para gestantes, vivências preparatórias e encontros nos quais os maridos e companheiros eram convidados e também recebiam informações sobre a gestação, o parto, o pós-parto e os cuidados com os bebês. Foram experiências muito positivas. Recomendo! O email da Cláudia é claudia@grupodegestantes.com.br.

CALÊNDULA BABYCREME

Quando vejo qualquer tipo de irritação na minha pele (o que acontece muito raramente) ou na pele da minha filha (na qual as ocorrências são mais frequentes), passo logo o creme para tratamento de assaduras Calêndula Babycreme, da Weleda, após uma camada da Loção Hidratante Corporal de Calêndula. Essa pomada tem funcionado muito bem, incluindo em casos de picadas de mosquito. Desinflama, diminui a vermelhidão, ameniza consideravelmente a coceira, protege e ajuda a pele a retornar a um estado saudável.

Ambas somos alérgicas, além disso a minha filha é uma criança muito ativa e adora esportes, que infelizmente provocam atrito na sua pele sensível. A pomada Calêndula Babycreme é o nosso trunfo para tratar a dermatite atópica sem recorrer a remédios alopáticos. Geralmente fazemos duas aplicações diárias, imediatamente após os banhos, e as lesões regridem em poucos dias.

Como creme para troca de fraldas — sua função original —, o produto de fato protege a pele dos bebês e previne o surgimento de assaduras. Também é indicado pelo site inglês da Weleda para pessoas obesas, pacientes acamados e adultos com incontinência.

Calêndula Babycreme é certificada pela Natrue, é formulada com ingredientes 100% naturais, incluindo óleos, ceras e extratos orgânicos, e apresenta os benefícios do óxido de zinco, sem nanotecnologia. Trata-se uma pasta concentrada e untuosa, que deixa a pele esbranquiçada. O aroma se parece bastante com o da loção hidratante. A lista de ingredientes é a seguinte:
Water (aqua), Prunus amygdalus dulcis (sweet almond) oil / óleo de amêndoa doce,
Sesamum indicum (sesame) seed oil / óleo de semente de gergelim, zinc oxide / óxido de zinco, beeswax (cera alba) / cera de abelha, lanolin / lanolina, glyceryl linoleate / linoleato de glicerila, hectorite / hectorita, Calendula officinalis flower extract / extrato de flores de calêndula, Chamomilla recutita (matricaria) flower extract / extrato de flores de camomila, fragrance (parfum)* / fragrância (perfume)*, limonene* / limoneno*, linalool* / linalol*, benzyl benzoate* / benzoato de benzila*, benzyl salicylate* / salicilato de benzila*, geraniol* / geraniol*, citral* / citral*.
from natural essential oils / * de óleos essenciais naturais.
Na loja online da Weleda (http://www.weleda.com.br/), o preço é R$33,90. Vem numa bisnaga branca de 75ml, feita de alumínio, com tampa plástica de rosquear, também branca. Fica numa caixa de papel reciclável, junto com um folheto colorido sobre a Linha de Calêndula.

OBSERVAÇÕES

Todos esses itens são fabricados na Alemanha e podem ser encontrados em lojas nacionais especializadas em artigos naturais. Geralmente compro no site brasileiro da Weleda mesmo, que oferece frete gratuito para compras acima de R$150,00. Também já adquiri esses produtos na Droga Raia (que conta com farmácias físicas e farmácia online), no site brasileiro Natue e na loja virtual americana iHerb (mais detalhes em “Loja virtual: iHerb”). E publiquei mais informações sobre a Weleda no texto “Resenha: cremes dentais Salt Toothpaste e Plant Gel Toothpaste, da Weleda”.

Além do fato de a dermatite atópia não ser contagiosa, convém frisar outras informações disponibilizadas no site da AADA (Associação de Apoio à Dermatite Atópica):
“A dermatite atópica, também conhecida como eczema atópico, é uma doença crônica, que causa inflamação da pele, levando ao aparecimento de lesões na pele e coceira. A dermatite atópica afeta geralmente indivíduos com história pessoal ou familiar de asma, rinite alérgica ou dermatite atópica. Essas três doenças são conhecidas como as doenças atópicas ou a tríade atópica. 
(...) A dermatite atópica é uma doença muito comum, universal, sendo mais encontrada em áreas urbanas. Estudos recentes mostram que a incidência da dermatite atópica tem aumentado nas últimas décadas e atualmente afeta de 10 a 15% da população em geral, em alguma época da vida.”
A característica crônica da dermatite atópica foi o que me levou a buscar um tratamento natural para as lesões. Com isso, aqui em casa não temos usado corticoides e nem imunossupressores, que além de efeito rebote podem causar complicações colaterais em outros órgãos. Não sou, no entanto, radical nesse sentido, e utilizaria a alopatia se estivesse numa situação em que ela fosse muito necessária — e sempre com receita médica.

Outro ponto essencial para a melhora da dermatite atópica é evitar coçar a pele, tanto quanto possível. Isso requer esforço e consciência corporal, mas realmente pode ser factível (mesmo em crianças) e vale a pena, pois faz com que as lesões piorem menos e diminui a chance de desenvolvimento de infecções. Alimentação inadequada e estresse elevado também podem agravar ou desencadear manifestações de dermatite atópica. No texto “Meu relato sobre dermatite atópica e o uso de produtos naturais com ingredientes orgânicos”, falo mais sobre todos os cuidados que incorporei à minha rotina e contribuíram para que eu praticamente não tenha tido lesões nos últimos anos.

Esse blog é uma espécie de caderno de anotações, com produtos, serviços, lojas e ingredientes naturais e orgânicos que deram certo especificamente comigo. Não tenho formação na área de saúde, e nenhum dos meus textos possui o intuito de substituir avaliações médicas, nem tampouco prescrições médicas.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

LEIA TAMBÉM:

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Loja virtual: Capym Store

A multimarcas virtual brasileira Capym Store (http://www.capymstore.com.br/) foi lançada em agosto de 2014, em São Paulo, pela administradora Daniela Pantani e pelo engenheiro ambiental Jorge Pinho da Cruz. No final de 2013, Daniela estava fazendo a transição para o vegetarianismo e Jorge para o veganismo, e tiveram a ideia de formar uma empresa na qual as pessoas se sentissem à vontade para comprar cosméticos e produtos de higiene com a certeza de que eles não foram testados em animais e não contêm ingredientes de origem animal.

A loja é, portanto, primeiramente vegana. Além disso, são evitados corantes artificiais e fragrâncias sintéticas, formaldeídos e parabenos, entre outras substâncias potencialmente nocivas. As políticas da empresa foram evoluindo para a priorização de produtos que contenham certificação orgânica, pela garantia de alinhamento com os três pilares da Capym Store — o respeito aos animais, à natureza e à saúde humana.

Quando a Daniela entrou em contato comigo, apresentando a loja e o seu programa de afilidados, gostei muito da curadoria, do posicionamento da empresa, da organização do site e da vantagem do frete gratuito para compras acima de R$140,00 (um valor mais baixo do que o usualmente praticado por outras lojas nacionais). Deixei passar um bocado de tempo — até porque estava muito envolvida com os preparativos para uma viagem de férias — e fiz um teste usando um nome e um endereço de email diferentes dos que estão associados ao Tantas Plantas: como uma consumidora comum, tirei dúvidas por email e pelo chat, fechei uma compra no site, e recebi minha encomenda em casa poucos dias depois.

Minha finalidade era descobrir como seria a experiência como cliente aleatória em vez de blogueira. O resultado foi extremamente positivo, por isso continuarei adquirindo produtos lá e fiz minha adesão ao programa de afiliados, no qual as compras que tenham sido originadas de links do blog rendem uma comissão, sem onerar o(a) cliente de modo algum. Agradeço muito a todas as leitoras e todos os leitores que derem preferência aos links afiliados para entrar no site da loja, com o objetivo de gerar uma contribuição para o blog. Mesmo que o sistema de incentivo não existisse, eu teria feito a indicação dessa empresa com o mesmo destaque.

PONTOS FORTES:

– Entregas podem ser feitas em todo o Brasil.

– A loja trabalha com uma seleção de produtos com a qual me identifiquei muito. A lista completa de marcas é apresentada na seção “Marcas”. Todos os produtos são cruelty-free e veganos.

– Todos os produtos são mostrados com as respectivas listas de ingredientes.

– As informações são claras e fáceis de encontrar.

– As fotos são boas e aumentam bastante.

– A embalagem das encomendas (tanto a caixa quanto o enchimento) é bem resistente.

– O atendimento ao cliente funciona muito bem. Recebi respostas rápidas, simpáticas e eficientes sempre que entrei em contato com a empresa por email, e também pelo chat.

– Pode-se falar com a equipe da loja em tempo real, pelo live chat.

– São enviadas 2 amostras grátis junto com todas as encomendas que custarem R$25,00 ou mais e 1 amostra grátis nos pedidos abaixo desse valor.

– É possível adquirir vales-presente. Gosto muita da ideia de dar (ou receber!) um vale-presente de uma loja especial.

– Compras acima de R$100,00 podem ser parceladas em até 3 vezes sem juros, na opção de pagamento pelo PayPal.

– O frete é gratuito em todas as encomendas acima de R$140,00, um valor mais acessível em comparação com o de outras lojas brasileiras.

– O tempo de entrega para o Rio de Janeiro foi muito rápido, mesmo com a greve dos Correios e escolhendo a modalidade mais barata.

– Existe uma opção de frete expresso, via Sedex.

– A loja oferece a possibilidade de se manter uma lista de desejos.

– O site inteiro pode ser visto também em inglês.

PONTOS FRACOS:

domingo, 20 de setembro de 2015

Resenha: BB Cream FPS 20, da Cativa

Ausência de perfume é uma característica que acho bem interessante em produtos de maquiagem. Esse é o caso do BB Cream FPS 20, lançado em março de 2015 pela marca nacional Cativa e preparado com óleos de café verde orgânico, buriti e physalis, extrato de babosa e ativos minerais não irradiados.

BB Cream FPS 20, da Cativa
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

O cosmético, aliás, foi projetado com uma série de outros atrativos:
1. É o primeiro BB Cream a ser formulado com insumos orgânicos rastreados, no Brasil.
2. Reúne seis benefícios num só produto: hidrata, suaviza imperfeições, tem ação antibrilho, pigmentação suave, efeito matificante e proteção contra os raios UV.
3. A proteção solar (FPS 20) é fornecida por filtros físicos: óxido de zinco e dióxido de titânio.
4. Contém alto teor de ômegas 3 e 6, que proporcionam hidratação e maciez.
5. Tem ação antioxidante, devido à elevada concentração de flavonóides.
6. É rico em vitaminas A, C e E, e carotenóides que protegem e revitalizam a pele.
7. Adapta-se a todos os tipos e tons de pele.
8. É dermatologicamente testado, vegano e não testado em animais.
9. Possui o certificado IBD de ingredientes naturais.
A marca Cativa me enviou o BB Cream FPS 20 sem custo e sem compromisso. Gostei tanto que comprei outra unidade, para continuar usando quando a primeira acabar. Na loja virtual da própria Cativa, está custando R$74,00. Pagamentos feitos em depósito bancário têm um desconto sobre esse valor. Quem mora aqui no Rio de Janeiro tem a opção de encomendar na Cativa Rio, da representante Marta Spinola.

O creme vem numa bisnaga de plástico, com 30g, protegida também por uma caixa de papel. A embalagem é branca, com enfeites dourados e letras marrons. A tampa é do tipo que gira, porém não se solta, e tem uma abertura muito reduzida, permitindo um maior controle da quantidade de creme por aplicação e ajudando a diminuir o risco de contaminação do conteúdo restante. A validade é de 2 anos.

Como esse BB Cream tem secagem extremamente rápida e alto rendimento, a marca recomenda que ele seja espalhado sobre a pele em pequenas quantidades, com movimentos suaves, até a sua completa absorção. Faço isso com a ponta dos dedos, mas há quem prefira aplicá-lo com um pincel duo fibre.

Acredito que a cor realmente seja adequada para diversas tonalidades de pele, pelo que pude comprovar por experiência própria e em relatos e fotos de outras pessoas.

O produto não se acumula nas minhas linhas de expressão, que ainda são finas e pouco numerosas, apesar dos meus atuais 39 anos de idade. Tenho usado o BB Cream FPS 20 com frequência, há quatro meses, e fiquei contente com o estado da minha pele mista nas fotos da viagem que fiz durante as férias. Efetivamente protege, trata e uniformiza a coloração da pele, com um acabamento bem natural. A cobertura não é intensa como a de uma base, e para mim já é suficiente para deixar a pele mais bonita.

Mesmo agitando a bisnaga antes de usar, o produto se separa um pouco, como pode ser visto na foto que ilustra essa resenha. Isso não me incomoda na hora da aplicação e nem prejudica o resultado final.

A lista de ingredientes está reproduzida a seguir. Incluí a tradução de cada item.
Linum usitatissimum seed oil* / óleo de semente de linhaça*, Mauritia flexuosa fruit oil / óleo de fruto de buriti, Physalis angulata extract / extrato de physalisCoffea arabica seed oil* / óleo de semente de café*, propanediol / propanodiol, Aloe barbadensis extract / extrato de babosa, argilla/montmorillonite/kaolin/mica/titanium dioxide / argila/argila verde/caulim/mica/dióxido de titânio, sodium PCA / sódio PCA, zinc oxide (and) caprylic/capric triglyceride (and) glyceryl isostearate (and) polyhydroxystearic acid / óxido de zinco (e) triglicéride cáprico/caprílico (e) isoestearato de glicerila (e) ácido esteárico, potassium cetyl phosphate / cetil fosfato de potássio, cetearyl glucoside (and) cetearyl alcohol / glicosídeo cetearílico (e) álcool cetearílico, coco-caprylate / caprilato de coco, benzyl alcohol and dehydroacetic acid and benzoic acid / álcool benzílico e ácido deidroacético e ácido benzóico, xanthan gum / goma xantana, sodium citrate / citrato de sódio, tocopheryl acetate / acetato de tocoferol, aqua / água, mica / mica, CI 77891 (titanium dioxide / dióxido de titânio), CI 77491 (iron oxides / óxidos de ferro).
* Ingredientes orgânicos.
Não contém parabenos, corantes sintéticos, fragrâncias artificiais, liberadores de formol, silicones, filtros químicos, óleo mineral e derivados do petróleo, ingredientes transgênicos e irradiados.

Ao ler a composição, fiquei em dúvida quanto à origem do propanediol (propanodiol em português), e escrevi para a Rose Cativa, fundadora da empresa. Ela me disse que o propanediol utilizado é totalmente vegetal, derivado do açúcar do milho (e não do petróleo), e foi escolhido por sua ação hidratante, conservante e modificadora sensorial. Completou a resposta informando que esse ingrediente é aprovado pelo IBD e pela Ecocert.

Em dias mais frios, funciona melhor comigo sobre uma camada fina de hidratante (Creme Noturno de Rosas, da Ikove) ou de sérum facial (RS Youth Serum, da Root Science). Em dias mais quentes, essa aplicação prévia não tem sido necessária. Após o BB Cream FPS 20, coloco um pouco de pó facial (Color Balancing Powder na cor Buttercup, ou Balancing Primer Powder na cor Medium, ambos da Alima). Quando o evento envolve praia, piscina ou caminhadas, uso um protetor solar com FPS 35 e longa duração (SPF 35 Sport Sunscreen Face Stick, da Badger).

Para quem quiser ler outras resenhas sobre esse cosmético, sugiro os textos da Yumi Tips, no blog Projeto Beleza Saudável, da Nyle Ferrari, no blog Lookaholic, e da Heglaé Maia, no blog Mocinha Kawaii. A postagem da Heglaé é especialmente útil, com fotos do rosto inteiro, antes e depois de passar o BB Cream. E ela definiu bem o cheiro do produto, ao dizer que lembra argila molhada. Após secar, o odor logo desaparece.

Mais informações sobre a Cativa podem ser encontradas no meu texto “Resenha: Loção Hidratante Copaíba, da Cativa”.

OBSERVAÇÃO: Esse creme foi enviado pela marca para minha avaliação. Eventualmente recebo produtos sem tê-los adquirido, e agradeço a gentileza. Nunca me senti na obrigação de fazer elogios. Estou escrevendo sobre o BB Cream FPS 20 por ter ficado verdadeiramente satisfeita com esse produto.

ATUALIZAÇÃO, 05/10/2015: A multimarcas brasileira Capym Store também comercializa esse cosmético. Esse é um link afiliado; mais informações em “Loja virtual: Capym Store”.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Leia também:

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Resenha: sérum facial RS Youth Serum e máscara facial RS Reborn, da Root Science

sérum facial RS Youth Serum tem como propostas preservar a juventude da pele e combater a acne, e realmente não pesou nas áreas oleosas do meu rosto (o nariz e as pálpebras), ao mesmo tempo em que tornou as áreas secas (as bochechas) mais elásticas e hidratadas. Ainda tenho poucas linhas de expressão, e notei que esse produto as deixou menos perceptíveis. A pele toda ficou acetinada, mais saudável e macia. Além disso, a fórmula contém uma combinação rara de ingredientes especiais, como óleo de camélia orgânica, óleo de baobá orgânico, óleo de meadowfoam orgânico, óleo de prickly pear orgânico, óleo de cranberry orgânica, óleo de tamanu orgânico e óleo essencial de immortelle orgânica. É indicado para todos os tipos de pele. Quanto ao efeito com relação à acne, não posso falar muito, pois não tenho tido problemas nesse sentido, de todo modo constatei que esse sérum não me fez ter espinhas.

Amostras do RS Youth Serum e da RS Reborn, ambos da Root Science
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

Já a máscara para o rosto RS Reborn é voltada para peles normais e maduras. Alguns de seus vários beneficios são: eliminar impurezas e toxinas, estimular a produção de colágeno, melhorar a textura da pele e restaurar o brilho característico de uma pele jovem. Contém argila rhassoul, cúrcuma orgânica, carvão ativado de coco, cogumelo chaga orgânico e frutos de rosa mosqueta orgânica, sea buckthorn orgânico e camu camu orgânico, entre outros ingredientes vegetais e minerais. Tem deixado a minha pele mais macia e limpa.

Os dois produtos são da marca norte-americana Root Science, fundada por Gigja Wesneski, uma islandesa que cresceu nos Estados Unidos, vive na Califórnia e começou a elaborar cosméticos totalmente naturais em 2008, para ajudar sua irmã mais nova, que sofria de acne severa e rosácea, numa pele extremamente sensível e com propensão a ficar com marcas de cicatrizes. Ao mudar sua alimentação e ver melhoras externas, ela quis mudar também os cosméticos que vinha usando. Gigja se inspirou no minimalismo, na pureza e nas tradições do seu país natal, a Islândia, na qual plantas medicinais são usadas em tratamentos. Os produtos desenvolvidos por ela refletem essas características. São orgânicoscruelty-freeveganos e artesanais. A empresa foi criada somente depois de alguns anos, dedicados ao aperfeiçoamento das composições. Seu sócio Derek Reynolds se encarrega do design e da parte administrativa.

Todos os óleos essenciais utilizados pela marca são de grau terapêutico e foram selecionados por seus benefícios para a pele. Não são fotossensibilizantes. Ainda que o aroma não seja a prioridade da Root Science, e sim os resultados, adorei o cheiro do sérum (moderno e fresco, diferente de tudo que já experimentei) e gostei muito do odor leve e agradável da máscara facial. As texturas são ótimas: o sérum tem uma viscosidade intermediária e se espalha uniformemente, e a máscara é bem fina; ao ser misturada com água, forma uma pasta delicada, que não agride a pele. O sérum tem uma bela cor âmbar e a máscara é bem escura.

RS Youth Serum pode ser usado tanto de dia quanto de noite, e deve ser aplicado com as pontas dos dedos no rosto, na área logo abaixo dos olhos, no pescoço e no colo, em movimentos de massagem suave. A RS Reborn foi projetada para ser usada uma vez por semana, em camada fina, misturando o pó com um pouco de água.

Copiei abaixo as listas de ingredientes e acrescentei os termos correspondentes em português.
RS YOUTH SERUM
Simmondsia chinensis (jojoba) oil* / óleo de jojoba*, Camellia oleifera seed oil* / óleo de semente de camélia*, Vitis vinifera (grape) seed oil* / óleo de semente de uva*, Adansonia digitata (baobab) seed oil* / óleo de semente de baobá*, Limnanthes alba (meadowfoam) seed oil* / óleo de semente de meadowfoam*, Opuntia ficus indica (prickly pear) seed oil* / óleo de semente de prickly pear*, Punica granatum (pomegranate) seed oil* / óleo de semente de romã*, Vaccinium macrocarpon (cranberry) seed oil* / óleo de semente de cranberry*, Calophyllum inophyllum (tamanu) nut oil* / óleo de semente de tamanu*, Hippophae rhamnoides (sea buckthorn CO2) fruit extract* / extrato de sea buckthorn obtido com CO2*, Rosa canina (rosehip) CO2 extract* / extrato de rosa mosqueta obtido com CO2*, Helichrysum italicum (helichrysum) essential oil* / óleo essencial de immortelle*, proprietary blend of organic and wild harvested essential oils / blend exclusivo de óleos essenciais orgânicos e extraídos diretamente de seu habitat natural, non-GMO tocopherol (vitamin E) / tocoferol (vitamina E) cuja origem não foi geneticamente modificada.
* Certified organic / * Certificado orgânico.
** Naturally sourced / ** De origem natural.
RS REBORN
Rhassoul clay** / argila rhassoul**, bentonite clay** / bentonita**, Curcuma longa (turmeric) root* / raiz de cúrcuma*, activated coconut charcoal / carvão ativado de coco, Rosa canina (rosehip) fruit* / fruto de rosa mosqueta*, Hippophae rhamnoides (sea buckthorn) fruit* / fruto de sea buckthorn*, Hibiscus sabdariffa flower* / flor de hibisco*, Myrciaria dubia (camu camu) fruit* / fruto de camu camu*, Centella asiatica (gotu kola)* / centella asiatica*, Inonotus obliquus (chaga mushroom)* / cogumelo chaga*, Glycyrrhiza glabra (licorice) root* / raiz de alaçuz*, Althaea officinalis (marshmallow) root* / raiz de alteia*, Lavandula X intermedia (lavender) flower* / flor de lavanda*, Vanilla planifolia (vanilla) bean* / semente de baunilha*, proprietary blend of organic and wild harvested essential oils / blend exclusivo de óleos essenciais orgânicos e extraídos diretamente de seu habitat natural.
* Certified organic / * Certificado orgânico.
** Naturally sourced / ** De origem natural.
A marca oferece também opções de sérum e de máscara facial para peles com outras necessidades. Por enquanto, o site da empresa só faz entregas nos Estados Unidos, no Canadá e no Reino Unido, mas a loja virtual Aurora Beauty trabalha com todos os produtos da Root Science e entrega no mundo inteiro. Tive contato com o RS Youth Serum e a RS Reborn ao receber amostras gratuitas desses produtos numa compra que fiz lá recentemente; uma excelente surpresa.

Todas as encomendas são enviadas pela Aurora Beauty junto com 3 amostras, escolhidas pela equipe. Os clientes também podem definir que produtos querem testar, aquirindo um conjunto de custom samples, que vem com 5 itens e custa US$15,00. As amostras vêm em pequenos frascos e potinhos devidamente higienizados, numa quantidade dimensionada para 2 a 6 usos. Comigo, a máscara foi suficiente para 5 aplicações, e o sérum rendeu espantosas 26 aplicações, ou seja, 13 dias, de manhã e de noite. Usei apenas no rosto, estendendo um pouco pelo pescoço; se tivesse incluído o colo e o pescoço todo, acredito que a amostra teria servido para aproximadamente 10 aplicações.

O fato de ter passado o sérum sempre na pele úmida de banho, lavada com o Sabonete Natural Andiroba 60% e Calêndula (sem aroma), da marca nacional Fefa Pimenta, ajudou a otimizar o rendimento. Logo em seguida, eu aplicava o Creme Facial Noturno de Rosas, da marca também brasileira Ikove. Esse tipo de combinação me fez sentir mais confortável, provavelmente por ter pele mista e um histórico de alergias e dermatite atópica, ainda mais nesse inverno cheio de alterações bruscas de temperatura. Pessoas com outras características e em outras estações do ano podem preferir usar o sérum sozinho.

Um ponto desfavorável desses produtos é o preço, bem elevado para os meus padrões. A RS Reborn vem num pote com 57g e custa US$50,00. O RS Youth Serum tem 3 preços e 3 tamanhos: US$20,00 por 5ml, US$40,00 por 10ml e US$80,00 por 30ml. A ideia de disponibilizar frascos menores é perfeita para testar antes de investir num full-size, ou simplesmente por amor à pesquisa. Nesses casos, é muito vantajoso o sistema de custom samples da Aurora Beauty, mesmo para quem mora nos países cobertos pela loja própria da Root Science.

As embalagens originais são lindas, de vidro violeta, quase preto, e contam com válvulas nos frascos, em vez de tubos conta-gotas. Diante desses cuidados, seus conteúdos ficam protegidos da ação do oxigênio e da luz, e têm sua durabilidade aumentada. Estão fazendo parte da minha lista de desejos.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Leia também:

“Resenha: blotting papers Original Aburatorigami e Evening Aburatorigami, da Tatcha”
“Resenha: filtro solar para o rosto SPF 35 Sport Sunscreen Face Stick, da Badger, para adultos e crianças”
“Férias no Havaí, parte 2: restaurantes, produtos orgânicos e outras compras na Big Island”
“Resenha: Sabonete Cupuaçu e Shampoo Sólido Castamuru, da Fefa Pimenta”
“Meu relato sobre dermatite atópica e o uso de produtos naturais com ingredientes orgânicos”
“Aromaterapia: onde encontrar óleos vegetais orgânicos”

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Loja virtual: Aurora Beauty

Uma das características mais admiráveis de certas lojas virtuais norte-americanas consiste em dar a seus clientes a possibilidade de escolher amostras de praticamente todos os produtos disponíveis. Por mais que a internet possa dar uma boa ajuda no processo de avaliação, fornecendo resenhas, comentários e fotos, o sistema de amostras é o que mais garante o sucesso de uma compra à distância, principalmente para pessoas alérgicas ou no caso de maquiagens, perfumes, produtos capilares e cosméticos para o rosto. Fundada por Farah Turner em Minneapolis, a Aurora Beauty (http://www.aurorabeauty.com/), é uma empresa multimarcas que oferece isso como um serviço pago à parte, além de incluir 3 amostras gratuitas e escolhidas por sua equipe, em todas as compras.

PONTOS FORTES:

– Entregas podem ser feitas para o mundo todo.

– A loja trabalha com uma seleção de marcas orgânicas bem interessante, com preços que vão de US$9,99 a US$185,00. A lista completa é apresentada na seção “Brands”. Todos os produtos são cruelty-free e muitos são veganos.

– Quem quiser pode comprar amostras de praticamente todos os cosméticos disponíveis no site. As exceções são compreensíveis: esmaltes, lápis de olho e máscaras para cílios. Cada conjunto de 5 amostras custa US$15,00 e pode ser comprado na seção “Custom samples”. Os clientes definem que produtos querem receber, e escrevem os nomes na página de checkout. As amostras se propõem a ser suficientes para 2 a 6 usos, e realmente são. Comigo, algumas estão rendendo bem mais.

– São enviadas 3 amostras, sem custo, junto com todas as encomendas. Esse benefício independe do sistema de amostras pagas, descrito no item anterior.

– Graças às amostras, tive a oportunidade de experimentar 3 produtos faciais que estão entre os mais deliciosos e dispendiosos que já usei até hoje: o RS Youth Serum, da marca californiana (e inspirada nas tradições herbalistas da Islândia) Root Science (US$80,00, 30ml); o Mahalo Balm, da marca havaiana Mahalo (US$72,00, 50ml); o Blue Beauty Balm, da marca novaiorquina (criada no Brooklyn por uma brasileira radicada nos Estados Unidos) Isa’s Restoratives (US$68,00, 50ml).

– Todos os produtos são mostrados com as respectivas listas de ingredientes.

– As fotos são boas e aumentam bastante.

– A embalagem das encomendas (tanto o pacote quanto o enchimento) é bem resistente.

– O atendimento ao cliente funciona muito bem. Recebi respostas rápidas e objetivas sempre que entrei em contato com a empresa por email.

– Além de eficiente, achei o atendimento particularmente gentil e caloroso, o que torna a experiência de compra ainda melhor. Dentro da minha caixa, havia um cartãozinho de agradecimento, manuscrito (um detalhe personalizado que faz uma boa diferença).

– Pode-se falar com a equipe da loja em tempo real, pelo live chat, de segunda-feira a sexta-feira, entre 12:00 e 17:00 (horário local).

– Ocasionalmente, a empresa faz promoções.

– É possível adquirir gift cards. Gosto muita da ideia de dar (ou receber!) um vale-presente de uma loja especial.

– O valor do frete para o Brasil é razoável. Aproveitando minhas férias no Havaí, pedi que a minha compra fosse enviada para lá, e o frete foi gratuito; de volta ao Rio de Janeiro, fiz algumas simulações e vi que o frete inicial para cá é de US$12,95. Para produtos pesados, como sais de banho em embalagens de vidro, seria mais caro, naturalmente.

PONTOS FRACOS:

– Não há um programa de pontos.

– Não existe uma opção de frete expresso para o Brasil.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

LEIA TAMBÉM:

“O que é importante saber antes de comprar em sites estrangeiros”
“Lojas e marcas especializadas”
“12 ingredientes que devem ser evitados”
“Loja virtual: Love Lula”

ALGUNS PRODUTOS ENCONTRADOS NA AURORA BEAUTY:

Sérum facial RS Youth Serum, da Root Science
Bálsamo para o rosto Blue Beauty Balm, da Isa’s Restoratives
Manteiga corporal Patchouli + Vanilla Bean + Wild Rose Whipped Body Butter, da Plantfolk Apothecary
Bálsamo para o rosto Mahalo Balm, da Mahalo (mini-resenha em “Férias no Havaí, parte 2: restaurantes, produtos orgânicos e outras compras na Big Island”)

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Férias no Havaí, parte 2: restaurantes, produtos orgânicos e outras compras na Big Island

No texto anterior, falei sobre passeios, transporte e acomodações na Big Island, ilha do arquipélago havaiano na qual eu e minha filha passamos treze dias de férias, em julho de 2015. Nos hospedamos na casa da minha irmã Cindy e do meu cunhado John, que são também os proprietários do confortável e colorido Dolphin Dreams Kealakekua, uma unidade completa e independente que fica no térreo e pode ser alugada por temporada. Mais detalhes, incluindo fotos e comentários de hóspedes, com elogios mais do que merecidos, podem ser vistos no Airbnb e no VRBO.

Reservei as minhas anotações sobre restaurantes, produtos orgânicos e outras compras para essa segunda parte do relato. Os endereços dos estabelecimentos estão informados entre parênteses. Para saber de detalhes como número de telefone, endereço de email e horários de funcionamento, basta acessar os respectivos sites, clicando em cima de cada nome.

COMPRAS

Viajantes têm interesses diferentes no que se refere a compras; falarei sobre as que nós fizemos e vou me ater a produtos especificamente havaianos. Nesse sentido, o foco da minha filha eram cartões e pequenos objetos, já eu me concentrei em alimentos orgânicos e produtos orgânicos de cuidado pessoal. Para minha surpresa, boa parte das empresas e fazendas abaixo se dispõe a enviar encomendas para o Brasil, entre diversos outros países, cobrando o frete correspondente.

1. Café 100% Kona Coffee: Um produto local muito especial é o renomado café da região de Kona, no lado Oeste da Big Island. Fatores como o rico solo de lava, a altitude e as condições climáticas de lá favorecem o crescimento da plantação e a colheita (feita à mão para garantir que somente os frutos perfeitamente maduros sejam utilizados), e fazem com que o café 100% Kona Coffee seja considerado um dos melhores cafés do mundo. Todo esse cuidado com a qualidade se reflete nos preços. É importante escolher com atenção, pois existem cafés do tipo Kona Blend, que consistem em misturas que podem chegar à proporção de 90% de cafés de outros países e apenas 10% de café de Kona. O produto autêntico apresenta a denominação 100% Kona Coffee. É comercializado tanto em grãos quanto moído.

Kona Rose Coffee, da Mahina Mele Farm
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

É possível fazer visitas guiadas e degustações em várias fazendas havaianas. A Greenwell Farms (81-6581 Mamalahoa Highwy, Kealakekua) é uma das fazendas de café mais famosas. Cheguei a começar o tour com a minha filha e a minha irmã, mas acabamos desistindo por causa do calor forte daquela tarde. Ficamos um pouco na loja, bebendo amostras de café. Não tenho o hábito de tomar café; mesmo assim experimentei todos os tipos diferentes que pude encontrar durante a viagem.

Para dar de presente, escolhi o Kona Rose Coffee, um café 100% Kona Coffee e orgânico, certificado pelo USDA. Comprei um pacote de 8oz (227g) no supermercado local Choice Mart (82-6066 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), por um preço um pouco menor do que os US$19,00 cobrados no site da fazenda que o produz, a Mahina Mele Farm (87-2642 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), dedicada a café e macadâmia, ambos certificados orgânicos. É vendido também na loja de produtos naturais Island Naturals (74-5487 Kaiwi St, Kailua-Kona). Seu ponto de torrefação é médio-escuro (Vienna roast).

Tanto a Greenwell Farms quanto a Mahina Mele Farm fazem envios para muitos outros países, incluindo o Brasil.

2. Macadâmia: Sua origem é australiana, porém ao Havaí é dado o crédito da consolidação da macadâmia como uma indústria, chegando a ser a maior região produtora de macadâmia do mundo. Atualmente, está em terceiro lugar no ranking mundial, atrás apenas dos países Austrália e África do Sul.

100% Dry Roasted Macadamia Nuts, Salted, e Rock Salt Macnuts, da Kona Pacific Farmers Cooperative
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

A loja favorita da minha irmã é da Kona Pacific Farmers Cooperative (82-5810 Napo‘opo‘o Rd, Captain Cook), a maior e mais antiga cooperativa de café de Kona nos Estados Unidos. Fundada em 1910, é especializada em café e macadâmia. Quem frequenta a loja ganha uma grande variedade de amostras dos diferentes sabores de macadâmia produzidos e pode se servir de copinhos dos seus vários tipos de café. Há também um espaço com mesinhas, para quem quiser saborear uma xícara de café e comer um brownie, um muffin ou um sanduíche, entre outras opções. Fica no distrito de South Kona.

Levei um pacote de 100% Dry Roasted Macadamia Nuts, Salted (macadâmias inteiras, torradas a seco e salgadas), com 12oz (340g), por US$16,75, e dois pacotes das deliciosas Rock Salt Macnuts (macadâmias inteiras, cobertas de chocolate amargo e sal de rocha), com 4oz (113g), por US$9,25 cada. O site da Kona Pacific Farmers Cooperative faz entregas no mundo todo.

Macadâmias saborizadas são bastante populares na Big Island, e um lugar bem divertido foi o show room da fábrica Hamakua (61-3251 Maluokalani St, Kawaihae), no distrito de North Kohala. Passamos lá a caminho do Pololu Valley (Highway 270, North Kohala). Fundada em 1994 por Richard Schnitzler, a empresa tem um grande sortimento de macadâmias salgadas e doces, indo da macadâmia pura até sabores como wasabi, coco, pimenta jalapeño, mel e mostarda. Há também confeitos e pipocas com frutas tropicais e pedacinhos de macadâmia. Além de ver as etapas de produção através de vidros, os clientes podem experimentar amostras à vontade. Comprei uma porção de latinhas dos sabores Island Onion (cebola da ilha) e Kona Coffee Glazed (glaceadas com café de Kona). No site, cada lata de 5,5oz (156g) custa US$6,99; na loja, o preço era mais barato. Os produtos da Hamakua são encontrados também em outras lojas e podem ser enviados internacionalmente.

Uma experiência interessante foi comparar as macadâmias da Hamakua com as macadâmias da Joe’s Nuts (84-5180 Painted Church Rd, Captain Cook), uma fazenda de macadâmia e café 100% Kona Coffee, cuja proprietária Diane Milazzo participa do circuito de farmers markets (detalhados no item 4 desse texto). Provei amostras num sábado, no Keauhou Farmers Market (78-6831 Ali‘i Dr, Kailua-Kona), e levei um pacote do sabor Maui Onion & Garlic (cebola de Maui e alho) por US$10,00, depois comprei mais dois pacotes desse mesmo sabor no domingo, no South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook). As duas macadâmias — as industrializadas da Hamakua e as artesanais da Joe’s Nuts — são muito boas, mas as artesanais têm um toque especial.

As macadâmias citadas até agora não são orgânicas. Já a Ailani Orchards (96-6448 Mamalahoa Hwy, Waiohinu), no distrito de Ka‘u, no Sul da Big Island, produz a Ka‘u Macadamia Nut Butter with Belgian Chocolate, uma pastinha irresistível, preparada com apenas dois ingredientes: macadâmia orgânica e chocolate belga. Dá vontade de comer tudo de uma só vez. O vidro vem com 4oz (113g) e custou US$6,00. Existe também uma opção da manteiga feita somente com macadâmia orgânica, sem chocolate. A fazenda pertence a Barney Frazier e sua esposa Elizabeth Jenkins, desde 2001, e é dedicada a macadâmia e café, ambos 100% orgânicos, embora sem certificação. Paramos lá quando estávamos indo para o Hawai‘i Volcanoes National Park (1 Crater Rim Dr, Volcano). É uma graça a decoração da vendinha onde são comercializados os produtos.

Vendinha da Ailani Orchards
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Ohi‘a Lehua Blossom Honey, da Big Island Bees; Lilikoi Butter, da Kona’s Earthly Delights 
Farm, e Ka‘u Macadamia Nut Butter with Belgian Chocolate, da Ailani Orchards
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

3. Mel cru: A Big Island Bees (82-1140 Meli Rd, Captain Cook) é uma fazenda especializada em mel cru (que não passa por processos de filtragem e superaquecimento), orgânico (certificado pelo USDA) e monovarietal (produzido com o néctar de uma única espécie de flor), produzido por abelhas que vivem na Big Island. É dirigida pelo casal Whendhi GradGarnett Puett.

O apiário trabalha com três tipos de mel varietal: de flores de ohi‘a lehua (uma árvore de origem havaiana), de flores de wileilaki (a planta brasileira aroeira, ou pimenta-rosa) e de flores de macadâmia. Os dois primeiros são orgânicos. Com texturas, cores e sabores distintos, todos são excelentes. Adquiri alguns vidros do suave e cremoso mel cru e orgânico de ohi‘a lehua; o preço de cada vidro com 4,5oz (127g) foi de US$5,00, e o vidro de 9oz (256g) custou US$9,00.

A sede da Big Island Bees está situada no distrito de South Kona, bem perto da paradisíaca Kealakekua Bay (uma área de proteção da biodiversidade marinha) e do aconchegante Dolphin Dreams Kealakekua. A construção abriga um museu dedicado à apicultura e uma loja de itens feitos com mel e cera de abelha (ambos orgânicos), incluindo chás, molhos, velas e produtos de cuidados pessoal como sabonetes e cremes. Lá é possível degustar os três tipos de mel e uma quarta opção, que mistura o mel de ohi‘a lehua orgânica com canela também orgânica. E duas vezes por dia são realizadas visitas guiadas bastante instrutivas, para as quais convém fazer reserva.

Comprei duas unidades do bálsamo Healing Bee Balm e estou muito satisfeita com sua ação na pele mista do meu rosto, logo após uma camada do meu hidratante de sempre, o Creme Facial Noturno de Rosas, da marca brasileira e orgânica Ikove. O Healing Bee Balm vem num vidro de 4,5oz (que equivaleriam a 127g de mel, mas no caso do bálsamo tem um pouco menos, já que esse produto é mais leve do que o mel) e custou US$15,00. Também escolhi o protetor labial Lip Bee Balm, embalado num vidrinho bem menor, ao preço de US$5,00. Ambos são orgânicos, produzidos na própria fazenda, e contêm mel cru e orgânico da florada de pimenta-rosa e cera de abelha orgânica também originada da florada de pimenta-rosa. Os cheiros são discretos. A esses preços foi acrescentado depois o imposto local, de 4,166%, no momento do pagamento.

A empresa faz um consistente trabalho de distribuição, e o mel da Big Island Bees é encontrado em outras casas comerciais e fazendas, e também nos farmers markets. A loja virtual envia para todos os países. Pedidos acima de US$65,00 têm frete gratuito para os estados americanos.

Museu sobre apicultura, na Big Island Bees
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Seção de cosméticos, na loja da Big Island Bees
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Também me agradou muito o Tropical Blossom Blend Pure Hawaiian Honey, o mel cru da Hawaii Bee Company (P.O. Box 545, Naalehu), um apiário familiar situado no distrito de Ka‘u. Suas abelhas produzem mel com o néctar de diversas flores tropicais, como flores de macadâmia, manga, maracujá, pimenta-rosa e ohi‘a lehua, que crescem espontaneamente numa das partes mais remotas da Big Island, sem pesticidas. O manejo é sustentável, e as abelhas nunca recebem açúcar e nem xarope de milho com alto teor de frutose. Experimentei o produto no South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook) e trouxe um vidro de 13oz (368g), que custou US$8,00. Além disso, a empresa comercializa cera de abelha para uso cosmético e velas feitas de cera de abelha, que são vendidas também na loja Island Naturals (74-5487 Kaiwi Street, Kailua-Kona). É possível comprar diretamente no site da Hawaii Bee Company.

4. Farmers markets: São feiras semanais, em lugares predeterminados, que reúnem produtores locais de alimentos (incluindo opções orgânicas, veganas, sem glúten), bebidas, artesanato, produtos terapêuticos e cosméticos. Gostei muito de conhecer dois farmers markets: o Keauhou Farmers Market (78-6831 Ali‘i Dr, Kailua-Kona), que funciona aos sábados no estacionamento do Keauhou Shopping Center, em Kailua-Kona, a maior cidade do lado Oeste da Big Island, e o South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), que é realizado aos domingos no estacionamento do Amy B. H. Greenwell Ethnobotanical Garden, no distrito de South Kona. São movimentados, mas não intransitáveis, e de modo geral os expositores são atenciosos e tranquilos. Como os espaços ficam ao ar livre, pode fazer calor perto do meio-dia, então é recomendável chegar cedo.

Alguns produtores participam das duas feiras, como a Kona’s Earthly Delights Farm, uma fazenda orgânica e certificada de café 100% Kona Coffee, macadâmia, frutas e produtos como bolos, chocolates, cookies e a Lilikoi Butter, um dos meus doces preferidos. Pertence a Bacci Perata e Bonnie Perata, e sua equipe é especialmente simpática. A Lilikoi Butter consiste numa pasta leve, feita com maracujá (lilikoi, no idioma havaiano), açúcar, ovo, manteiga, limão e lima. Todos esses ingredientes são orgânicos.

Para mim, tanto a Lilikoi Butter quanto a Ka‘u Macadamia Nut Butter with Belgian Chocolate e o Tropical Blossom Blend Pure Hawaiian Honey combinam muito com as panquecas americanas que comemos em quase todos os cafés da manhã no Havaí, por isso eu trouxe na mala a Organic 7 Grain Pancake and Waffle Whole Grain Mix, que a minha irmã costuma usar. Com certificação orgânica do USDA, essa mistura para panqueca contém farinhas de sete grãos (centeio, milho, aveia, linhaça, quinoa, arroz vermelho e trigo, listado também nas variedades spelt e kamut), todos orgânicos e integrais, e tem nos trazido ótimas recordações da viagem. É da marca americana (porém não havaiana) Bob’s Red Mill, e pode ser encontrada nos supermercados Island Naturals (74-5487 Kaiwi Street, Kailua-Kona) e Choice Mart (82-6066 Mamalahoa Hwy, Captain Cook).

Luana Naturals (P.O. Box 1054, Captain Cook) é outra fazenda presente em ambas feiras. Comprei o Be Balm, um protetor labial que custou US$5,00 e também serve para outras partes do corpo. Composto de óleos vegetais de kukui, gergelim e abacate infundido com cúrcuma, manteiga de manga, cera de abelha, mel, sabor natural de manga e vitamina E, o produto vem num delicado potinho de plástico branco, de 7g, e é totalmente natural, sendo alguns ingredientes também orgânicos. O sabor de manga é sutil e nada açucarado. É enfatizada a utilização de insumos do Havaí. Seus proprietários Tim Bruno e Karen Kriebl fazem entregas internacionais, pela loja virtual.

Também vi nesses dois farmers markets a barraca da Kitchen of Creation (P.O. Box 1118, Captain Cook), uma fazenda de mamaki (Pipturus albidus). Essa planta havaiana pertence à família da urtiga e é endêmica, ou seja, é encontrada naturalmente apenas naquela região. Situado num dos lugares mais remotos do globo terrestre, o Havaí possui uma das maiores taxas mundiais de endemismo, com milhares de espécies com essa classificação. O chá de mamaki é consumido por suas propriedades medicinais revitalizantes, para aliviar cólicas e para desintoxicar o organismo após a exposição ao vog (abreviação de volcanic smog, que designa o nevoeiro contaminado por gases sulfurosos e resíduos emitidos pelos vulcões). Não contém cafeína. Ao comprar com Nataliya Dmitrieva um pacote de 1,1oz. (31,2g) de folhas desidratadas, ganhei de brinde um copo de chá gelado de mamaki, bem refrescante.

As peças de artesanato mais bonitas que pude admirar nessa viagem foram de Willa Marten e seu marido David Carlin, donos da Marten Pewter, uma empresa especializada em colheres de estanho — sem chumbo — e outros objetos decorativos feitos com esse metal. Além disso, Willa faz enfeites e bonecos com coco seco, conchas e pedacinhos de vidro que são trazidos pelo mar e vão sendo polidos pelo atrito com pedras vulcânicas, no vaivém das ondas, e David elabora acessórios com conchas pintadas à mão. O casal integra o South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook).

Objetos de estanho sem chumbo, da Marten Pewter
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Também fiquei impressionada com o Royal Mana Oil, da Ho‘omana Oils (P.O. Box 1023, Volcano). É produzido artesanalmente por Richard Probst e Sheila Probst, na sua fazenda em Volcano, uma localidade próxima ao vulcão Kilauea. O casal envia encomendas para todos os países. Comprei um vidro pequeno com Doreen Ho Parker, a representante deles no South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), que me fez uma demonstração do produto com uma providencial massagem na nuca e nos ombros. De uso tópico, o Royal Mana Oil é apresentado como sendo hipoalergênico e é indicado pela marca para aliviar dores em geral, lesões esportivas, inchaço, psoríase, eczema, artrite, fibromialgia, reabilitação e cicatrização pós-cirúrgica. Os ingredientes são um blend exclusivo de ervas havaianas e óleo de semente de uva. As ervas se chamam haoui e aloli, vêm sendo usadas há muitas gerações e são colhidas em locais onde nascem espontaneamente.

No idioma havaiano, mana é a energia de cura que cada indivíduo possui. Já ho‘omana contém múltiplos significados (assim como ocorre com outras palavras havaianas), e o que está sendo usado pela marca é empoderamento. Tenho passado o Royal Mana Oil em algumas noites, seguindo a técnica usada por Doreen e as instruções dadas num cartão, e estou notando resultados positivos. O produto é vegano, preparado por meio de infusão a frio. Não é exatamente cheiroso, mesmo assim acho reconfortante o seu odor característico. Tem uma cor âmbar-esverdeada e não tem manchado as minhas roupas. O vidro de 1 fl.oz. (30ml) custou US$20,00. O frasco é de vidro azul-escuro, com tampa conta-gotas preta e rótulo verde, decorado com uma bela foto de uma samambaia. A Ho‘omana Oils oferece também outros produtos fundamentados na tradição herbalista havaiana.

Royal Mana Oil, da Ho‘omana Oils
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

5. Compra online: Encontrei a marca havaiana Mahalo Skin Care, de Maryna Kracht e Mark Kracht, pesquisando no Instagram, e fiquei curiosa para conhecer os produtos após ler as listas de ingredientes. Quando descobri que a loja virtual Aurora Beauty trabalha com essa marca e envia amostras gratuitas junto com as compras, para todos os países, escrevi um email perguntando se por acaso algumas amostras poderiam ser de produtos da Mahalo. Responderam que sim, então fiz uma encomenda semanas antes de viajar, usando o endereço da minha irmã e do meu cunhado para a entrega.

Recebi potinhos com dois produtos: a Pele Mask (uma ótima máscara facial desintoxicante, cujo nome homenageia a deusa havaiana do fogo e dos vulcões) e o Mahalo Balm (um bálsamo orgânico para o rosto que tem um cheiro maravilhoso, com notas de sândalo havaiano, lavanda e gerânio, além de ser muito eficiente para hidratar e acalmar a pele). A marca prioriza o uso de ingredientes locais e orgânicos. Os produtos, bastante sofisticados, são feitos à mão e acondicionados em embalagens de bambu, numa ilha havaiana chamada Kauai. A Pele Mask vem num pote com 1,7 fl.oz. (50ml) e custa US$64,00, já o Mahalo Balm vem num pote do mesmo tamanho e seu preço é de US$72,00. As listas de ingredientes são extensas, e podem ser consultadas no site da marca. No idioma havaiano, mahalo é a palavra utilizada para expressar gratidão.

Noni (Morinda citrifolia), uma fruta havaiana que faz parte
da lista de ingredientes da Pele Mask, da Mahalo Skin Care
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

6. Supermercados: Fundada por Russell Ruderman, a Island Naturals (74-5487 Kaiwi Street, Kailua-Kona) vende alimentos, bebidas, produtos de cuidado pessoal, suplementos e produtos de limpeza, todos naturais, e muitas vezes também orgânicos, e tem um bufê na entrada, para quem quiser fazer uma refeição ali mesmo. Além da loja que frequentamos, em Kailua-Kona, existem outras duas unidades na Big Island: a sede em Hilo e outra filial em Pahoa.

A minha filha se encantou com o perfume natural Coco-Mango, bem frutal e tropical, com notas de coco e manga, da marca havaiana Alohatherapy (P.O. Box 1597, Pahoa). Um vidrinho de 20ml custou US$6,99, mais o imposto de 4,166%. Além de perfumes naturais (todos diluídos numa base de óleo de amêndoa e óleo de jojoba) e óleos essenciais (incluindo óleos essenciais de flores locais como maile, tuberosa, jasmim-manga, gardênia, hibisco e jasmim pikake), o display da marca contém óleos vegetais de kukuitamanu e neem. Fica num amplo espaço no centro da Island Naturals, voltado exclusivamente a cosméticos feitos no Havaí.

Óleos essenciais, perfumes naturais e óleos vegetais  da Alohatherapy
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Nessa loja comprei também o Extra Mild Natural Soap, com o singular aroma de plumeria (jasmim-manga), da Captain’s Ohana Farm (84-4781 Mamalahoa Hwy, Honaunau). A barra de sabonete, com aproximadamente 4,5oz (127g), custou US$5,49, além do imposto local. Seus ingredientes são óleo de canola, óleo de coco, azeite de oliva, flocos de soda, cera crua de abelha, mel cru, aveia e fragrância de jasmim-manga. O sabonete é natural e efetivamente extra-suave, com um perfume adorável, e deixou a minha pele e o meu cabelo mais macios. Também pode ser adquirido na loja Blue Ginger Gallery (79-7391 Mamalahoa Hwy, Kainaliu), no distrito de South Kona. A fazenda pertence a Jack Turner e Tina Turner, e produz café 100% Kona Coffee, mel, cera de abelha, sabonetes, velas e 85 tipos de frutas exóticas e vegetais. Os fertilizantes são orgânicos, e não são utilizados pesticidas e nem herbicidas. O site da marca inclui uma loja virtual.

A Island Naturals trabalha também com outras marcas do Havaí, várias outras marcas americanas e algumas européias, além da brasileira Surya. Vi John Masters Organics, Badger, Weleda, Acure, Dr. Bronner’s, Andalou, Dr. Hauschka, Natracare, entre inúmeras outras, espalhadas em dezenas de prateleiras da seção de cosméticos.

Algumas prateleiras de cosméticos naturais e cosméticos orgânicos, na Island Naturals
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Outro estabelecimento com uma grande oferta de comida orgânica é o supermercado Choice Mart (82-6066 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), já citado algumas vezes acima. Fica no distrito de South Kona. O hipermercado Costco (73-5600 Maiau St, Kailua-Kona), em Kailua-Kona, também tem alimentos orgânicos, em embalagens enormes para os padrões cariocas.

7. Livros, cartões e presentes: Os centros de visitantes dos parques nacionais, descritos em “Férias no Havaí, parte 1: passeios, acomodações e transporte na Big Island”, são ideais para quem estiver buscando livros sobre as riquezas naturais, a história e as tradições havaianas. Além disso, cada compra beneficia essas incríveis instituições. Visitamos os quatro parques nacionais localizados na Big Island:


No primeiro parque da lista, a minha filha escolheu um lindo guia sobre pássaros existentes no arquipélago havaiano — A photographic Guide to the Birds of Hawai'i: The Main Islands and Offshore Waters, de Jim Denny (Honolulu: University of Hawai'i Press, 2010; US$19,95) — e eu me decidi por um guia sobre plantas nativas do HavaíAmy Greenwell Garden Ethnobotanical Guide to Native Hawaiian Plants & Polynesian-introduced Plants, de Noa Kekuewa Lincoln (Honolulu: Bishop Museum Press, 2009; US$12,95). Foram bastante consultados durante a viagem, pois estávamos constantemente cercadas de plantas notáveis e pássaros fascinantes.

São vendidos também outros itens, como cartões postais, marcadores de livro, jogos, binóculos, além de bolsas, broches e acessórios com o tema de cada parque. E o Hawai‘i Volcanoes National Park conta também com outra loja de lembranças relacionadas com vulcões; fica dentro da Volcano House (1 Crater Rim Dr, Volcano), um estabelecimento que abriga também um restaurante e um hotel. Clientes do restaurante recebem um cupom de 10% de desconto na loja.

Outro lugar com uma considerável seleção de livros infantis e CDs com temas havaianos, além de cartões e brinquedos, é a livraria Kona Stories (78-6831 Ali‘i Dr Suite #142, Kailua-Kona), em Kailua-Kona. Fundada em 2006 por Brenda McConnell e Joy Vogelgesand, fica no Keauhou Shopping Center, perto do estacionamento que é ocupado aos sábados pelo Keauhou Farmers Market.

Inaugurada há quase trinta anos num trecho pitoresco de South Kona, a Blue Ginger Gallery (79-7391 Mamalahoa Hwy, Kainaliu) é uma loja com harmoniosas e coloridas pinturas originais, várias delas de autoria da sua proprietária, a artista plástica Jill Ami, e que se desdobram em gravuras, cartões, roupas e tecidos; além de joias, produtos de beleza, acessórios e objetos decorativos — todos no peculiar estilo havaiano. Minha filha levou belos cartões com golfinhos pintados (de US$1,00 a US$5,00), tatuagens temporárias de inspiração polinésia (US$6,50 cada cartela) e uma pequena coleira de cachorro (US$11,00), feita de tecido, com estampa de hibiscos. A coleira é de verdade, no entanto quem a usa são seus cãezinhos de pelúcia. A esses preços foi somado depois o imposto de 4,166%.

Embora Kailua-Kona tenha uma concentração muito maior de lojas, achei mais interessantes os lugares comentados acima.

RESTAURANTES

Como a minha irmã e o meu cunhado se tornaram moradores da Big Island e antes disso já haviam viajado para o Havaí diversas vezes, eles conhecem inúmeros outros restaurantes além dos sete que são descritos abaixo; esses são apenas os que visitamos dessa vez. De modo geral, é recomendável fazer reservas, as porções servidas são generosas, a água é cortesia da casa, o atendimento é cordial e eficiente. É comum ver ingredientes orgânicos, além de opções vegetarianas (e eventualmente veganas) e pratos sem glúten nos cardápios. Os clientes costumam se vestir de modo informal.

1. Mi’s Bistro (81-6372 Mamalahoa Hwy, Kealakekua): O chef Morgan Starr e sua esposa Ingrid Chan oferecem deliciosos e substanciosos pratos italianos, habilmente preparados com ingredientes frescos e locais, de excepcional qualidade. O atendimento gentil e o ambiente intimista, discreto e elegante tornaram o nosso jantar ainda mais especial. O restaurante está situado no distrito de South Kona.

2. Strawberry Patch (79-7491 Mamalahoa Hwy, Kealakekua): Um restaurante charmoso e acolhedor, dirigido pelas irmãs Amelia Antonucci e Maria Antonucci. Também está localizado no distrito de South Kona. A chef Amelia executa um cardápio de comfort food, com destaque para as sobremesas e uma primorosa entrada de queijo brie derretido com torradas, alho assado e frutas frescas.

3. Sam Choy’s Kai Lanai (78-6831 Ali‘i Dr, Keauhou): Um amplo e arejado restaurante de ótima comida havaiana, em Kailua-Kona. O cardápio elaborado pelo famoso chef Sam Choy apresenta uma boa variedade de pratos para crianças. Nosso almoço lá foi bem tranquilo, enfeitado com uma linda vista panorâmica do mar.

4. Ultimate Burger (74-5450 Makala Blvd E112, Kailua-Kona): Entramos ao acaso nessa lanchonete, em Kailua-Kona, e nos surpreendemos positivamente com a comida. O pequeno cardápio tem salada orgânica e uma opção de hambúrguer vegetariano, além de hambúrgueres de carne, de peixe e de frango.

5. Patz Pies (82-6127 Mamalahoa Hwy, Captain Cook): Ambiente despretensioso e agradável, com pizzas saborosas e bem temperadas, realmente muito boas. Fica no distrito de South Kona.

6. The Rim Restaurant, na Volcano House (1 Crater Rim Drive, Volcano): Localizado dentro do Hawai‘i Volcanoes National Park e recentemente reformado, é um restaurante de comida típica das ilhas havaianas, muito bem preparada com ingredientes locais. Ali experimentei o poi, que é servido como um dos acompanhamentos de diversos pratos. Um dos pilares da culinária do Havaí, o poi é preparado com taro — o tubérculo Colocasia esculenta, que aqui no Brasil também é conhecido como inhame-coco, inhame-dos-açores e inhame japonês. As mesas têm uma sensacional vista panorâmica da imensa Halema‘uma‘u Crater, no cume do vulcão Kilauea.

Vista panorâmica do vulcão ativo Kilauea, em frente ao restaurante da Volcano House
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

7. Merriman’s Waimea (65-1227 Opelo Road, Kamuela): Fundado em 1988 numa área com predomínio da atividade pecuária, no Norte da Big Island, é o restaurante mais emblemático e premiado do chef Peter Merriman, um pioneiro do que ele chama de Hawaii Regional Cuisine. Estabelecendo parcerias sólidas com fazendeiros e pescadores locais que também são adeptos de práticas sustentáveis, o restaurante oferece alimentos extremamente frescos e sazonais, no auge do seu sabor. Nosso almoço no Merriman’s Waimea, a caminho do Pololu Valley (Highway 270, North Kohala), foi memorável, numa mesa bem ao lado da bela horta orgânica do restaurante, aberta para visitação.

NO FUTURO

Além de fazer passeios turísticos, a viagem tinha outros objetivos para mim e para a minha filha: matar as saudades da Cindy, do John e dos cachorros deles, descansar bastante, aproveitar tanto quanto possível a presença de golfinhos na Kealakekua Bay. E, no meu caso, pesquisar produtos orgânicos para o blog. Minha irmã e meu cunhado tinham também as tarefas relacionadas ao Dolphin Dreams Kealakekua, que está bem concorrido.

Vista panorâmica da Kealakekua Bay, em frente ao Dolphin Dreams Kealakekua
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Por conta desses e outros fatores, várias atividades em Kona foram deixadas de lado, como mergulhar à noite com arraias-manta, contemplar os petroglifos do Kaloko-Honokohau National Historical Park (73-4786 Kanalani St Unit 14, Kailua-Kona), assistir a um espetáculo no Aloha Theatre (79-7384 Mamalahoa Hwy, Kainaliu), fazer uma visita completa a uma fazenda de café, explorar mais o Pu‘ukohola Heiau National Historic Site (62-3601 Kawaihae Road, Kawaihae), apreciar o Amy B. H. Greenwell Ethnobotanical Garden, experimentar a massagem havaiana lomi lomi e ir a outras praias, como a Keei Beach, indicada para surfe, pesca e snorkeling. Além disso, existem áreas na Big Island que não visitamos: o lado Leste, no entorno de Hilo, que entre outras atrações possui cachoeiras maravilhosas, e a região do vulcão adormecido Mauna Kea, que está coberto de neve e reúne condições ideais para a observação astronômica (é o ponto mais alto do Havaí e também a montanha mais alta do mundo, se forem considerados os metros abaixo do nível do mar). Sem falar em todas as demais ilhas do arquipélago... Temos muitos motivos para planejar novas viagens ao Havaí!

O amanhecer na Kealakekua Bay, visto da praia
que está situada em frente ao Dolphin Dreams Kealakekua
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

LEIA TAMBÉM:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...