terça-feira, 25 de agosto de 2015

Férias no Havaí, parte 2: restaurantes, produtos orgânicos e outras compras na Big Island

No texto anterior, falei sobre passeios, transporte e acomodações na Big Island, ilha do arquipélago havaiano na qual eu e minha filha passamos treze dias de férias, em julho de 2015. Nos hospedamos na casa da minha irmã Cindy e do meu cunhado John, que são também os proprietários do confortável e colorido Dolphin Dreams Kealakekua, uma unidade completa e independente que fica no térreo e pode ser alugada por temporada. Mais detalhes, incluindo fotos e comentários de hóspedes, com elogios mais do que merecidos, podem ser vistos no Airbnb e no VRBO.

Reservei as minhas anotações sobre restaurantes, produtos orgânicos e outras compras para essa segunda parte do relato. Os endereços dos estabelecimentos estão informados entre parênteses. Para saber de detalhes como número de telefone, endereço de email e horários de funcionamento, basta acessar os respectivos sites, clicando em cima de cada nome.

COMPRAS

Viajantes têm interesses diferentes no que se refere a compras; falarei sobre as que nós fizemos e vou me ater a produtos especificamente havaianos. Nesse sentido, o foco da minha filha eram cartões e pequenos objetos, já eu me concentrei em alimentos orgânicos e produtos orgânicos de cuidado pessoal. Para minha surpresa, boa parte das empresas e fazendas abaixo se dispõe a enviar encomendas para o Brasil, entre diversos outros países, cobrando o frete correspondente.

1. Café 100% Kona Coffee: Um produto local muito especial é o renomado café da região de Kona, no lado Oeste da Big Island. Fatores como o rico solo de lava, a altitude e as condições climáticas de lá favorecem o crescimento da plantação e a colheita (feita à mão para garantir que somente os frutos perfeitamente maduros sejam utilizados), e fazem com que o café 100% Kona Coffee seja considerado um dos melhores cafés do mundo. Todo esse cuidado com a qualidade se reflete nos preços. É importante escolher com atenção, pois existem cafés do tipo Kona Blend, que consistem em misturas que podem chegar à proporção de 90% de cafés de outros países e apenas 10% de café de Kona. O produto autêntico apresenta a denominação 100% Kona Coffee. É comercializado tanto em grãos quanto moído.

Kona Rose Coffee, da Mahina Mele Farm
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

É possível fazer visitas guiadas e degustações em várias fazendas havaianas. A Greenwell Farms (81-6581 Mamalahoa Highwy, Kealakekua) é uma das fazendas de café mais famosas. Cheguei a começar o tour com a minha filha e a minha irmã, mas acabamos desistindo por causa do calor forte daquela tarde. Ficamos um pouco na loja, bebendo amostras de café. Não tenho o hábito de tomar café; mesmo assim experimentei todos os tipos diferentes que pude encontrar durante a viagem.

Para dar de presente, escolhi o Kona Rose Coffee, um café 100% Kona Coffee e orgânico, certificado pelo USDA. Comprei um pacote de 8oz (227g) no supermercado local Choice Mart (82-6066 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), por um preço um pouco menor do que os US$19,00 cobrados no site da fazenda que o produz, a Mahina Mele Farm (87-2642 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), dedicada a café e macadâmia, ambos certificados orgânicos. É vendido também na loja de produtos naturais Island Naturals (74-5487 Kaiwi St, Kailua-Kona). Seu ponto de torrefação é médio-escuro (Vienna roast).

Tanto a Greenwell Farms quanto a Mahina Mele Farm fazem envios para muitos outros países, incluindo o Brasil.

2. Macadâmia: Sua origem é australiana, porém ao Havaí é dado o crédito da consolidação da macadâmia como uma indústria, chegando a ser a maior região produtora de macadâmia do mundo. Atualmente, está em terceiro lugar no ranking mundial, atrás apenas dos países Austrália e África do Sul.

100% Dry Roasted Macadamia Nuts, Salted, e Rock Salt Macnuts, da Kona Pacific Farmers Cooperative
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

A loja favorita da minha irmã é da Kona Pacific Farmers Cooperative (82-5810 Napo‘opo‘o Rd, Captain Cook), a maior e mais antiga cooperativa de café de Kona nos Estados Unidos. Fundada em 1910, é especializada em café e macadâmia. Quem frequenta a loja ganha uma grande variedade de amostras dos diferentes sabores de macadâmia produzidos e pode se servir de copinhos dos seus vários tipos de café. Há também um espaço com mesinhas, para quem quiser saborear uma xícara de café e comer um brownie, um muffin ou um sanduíche, entre outras opções. Fica no distrito de South Kona.

Levei um pacote de 100% Dry Roasted Macadamia Nuts, Salted (macadâmias inteiras, torradas a seco e salgadas), com 12oz (340g), por US$16,75, e dois pacotes das deliciosas Rock Salt Macnuts (macadâmias inteiras, cobertas de chocolate amargo e sal de rocha), com 4oz (113g), por US$9,25 cada. O site da Kona Pacific Farmers Cooperative faz entregas no mundo todo.

Macadâmias saborizadas são bastante populares na Big Island, e um lugar bem divertido foi o show room da fábrica Hamakua (61-3251 Maluokalani St, Kawaihae), no distrito de North Kohala. Passamos lá a caminho do Pololu Valley (Highway 270, North Kohala). Fundada em 1994 por Richard Schnitzler, a empresa tem um grande sortimento de macadâmias salgadas e doces, indo da macadâmia pura até sabores como wasabi, coco, pimenta jalapeño, mel e mostarda. Há também confeitos e pipocas com frutas tropicais e pedacinhos de macadâmia. Além de ver as etapas de produção através de vidros, os clientes podem experimentar amostras à vontade. Comprei uma porção de latinhas dos sabores Island Onion (cebola da ilha) e Kona Coffee Glazed (glaceadas com café de Kona). No site, cada lata de 5,5oz (156g) custa US$6,99; na loja, o preço era mais barato. Os produtos da Hamakua são encontrados também em outras lojas e podem ser enviados internacionalmente.

Uma experiência interessante foi comparar as macadâmias da Hamakua com as macadâmias da Joe’s Nuts (84-5180 Painted Church Rd, Captain Cook), uma fazenda de macadâmia e café 100% Kona Coffee, cuja proprietária Diane Milazzo participa do circuito de farmers markets (detalhados no item 4 desse texto). Provei amostras num sábado, no Keauhou Farmers Market (78-6831 Ali‘i Dr, Kailua-Kona), e levei um pacote do sabor Maui Onion & Garlic (cebola de Maui e alho) por US$10,00, depois comprei mais dois pacotes desse mesmo sabor no domingo, no South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook). As duas macadâmias — as industrializadas da Hamakua e as artesanais da Joe’s Nuts — são muito boas, mas as artesanais têm um toque especial.

As macadâmias citadas até agora não são orgânicas. Já a Ailani Orchards (96-6448 Mamalahoa Hwy, Waiohinu), no distrito de Ka‘u, no Sul da Big Island, produz a Ka‘u Macadamia Nut Butter with Belgian Chocolate, uma pastinha irresistível, preparada com apenas dois ingredientes: macadâmia orgânica e chocolate belga. Dá vontade de comer tudo de uma só vez. O vidro vem com 4oz (113g) e custou US$6,00. Existe também uma opção da manteiga feita somente com macadâmia orgânica, sem chocolate. A fazenda pertence a Barney Frazier e sua esposa Elizabeth Jenkins, desde 2001, e é dedicada a macadâmia e café, ambos 100% orgânicos, embora sem certificação. Paramos lá quando estávamos indo para o Hawai‘i Volcanoes National Park (1 Crater Rim Dr, Volcano). É uma graça a decoração da vendinha onde são comercializados os produtos.

Vendinha da Ailani Orchards
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Ohi‘a Lehua Blossom Honey, da Big Island Bees; Lilikoi Butter, da Kona’s Earthly Delights 
Farm, e Ka‘u Macadamia Nut Butter with Belgian Chocolate, da Ailani Orchards
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

3. Mel cru: A Big Island Bees (82-1140 Meli Rd, Captain Cook) é uma fazenda especializada em mel cru (que não é ultrafiltrado e nem superaquecido), orgânico (certificado pelo USDA) e monovarietal (produzido com o néctar de uma única espécie de flor), produzido por abelhas que vivem na Big Island. É dirigida pelo casal Whendi GradGarnett Puett.

O apiário trabalha com três tipos de mel varietal: de flores de ohi‘a lehua (uma árvore de origem havaiana), de flores de wileilaki (a planta brasileira aroeira, ou pimenta-rosa) e de flores de macadâmia. Os dois primeiros são orgânicos. Com texturas, cores e sabores distintos, todos são excelentes. Adquiri alguns vidros do suave e cremoso mel cru e orgânico de ohi‘a lehua; o preço de cada vidro com 4,5oz (127g) foi de US$5,00, e o vidro de 9oz (256g) custou US$9,00.

A sede da Big Island Bees está situada no distrito de South Kona, bem perto da paradisíaca Kealakekua Bay (uma área de proteção da biodiversidade marinha) e do aconchegante Dolphin Dreams Kealakekua. A construção abriga um museu dedicado à apicultura e uma loja de itens feitos com mel e cera de abelha (ambos orgânicos), incluindo chás, molhos, velas e produtos de cuidados pessoal como sabonetes e cremes. Lá é possível degustar os três tipos de mel e uma quarta opção, que mistura o mel de ohi‘a lehua orgânica com canela também orgânica. E duas vezes por dia são realizadas visitas guiadas bastante instrutivas, para as quais convém fazer reserva.

Comprei duas unidades do bálsamo Healing Bee Balm e estou muito satisfeita com sua ação na pele mista do meu rosto, logo após uma camada do meu hidratante de sempre, o Creme Facial Noturno de Rosas, da marca brasileira e orgânica Ikove. O Healing Bee Balm vem num vidro de 4,5oz (que equivaleriam a 127g de mel, mas no caso do bálsamo tem um pouco menos, já que esse produto é mais leve do que o mel) e custou US$15,00. Também escolhi o protetor labial Lip Bee Balm, embalado num vidrinho bem menor, ao preço de US$5,00. Ambos são orgânicos, produzidos na própria fazenda, e contêm mel cru e orgânico da florada de pimenta-rosa e cera de abelha orgânica também originada da florada de pimenta-rosa. Os cheiros são discretos. A esses preços foi acrescentado depois o imposto local, de 4,166%, no momento do pagamento.

A empresa faz um consistente trabalho de distribuição, e o mel da Big Island Bees é encontrado em outras casas comerciais e fazendas, e também nos farmers markets. A loja virtual envia para todos os países. Pedidos acima de US$65,00 têm frete gratuito para os estados americanos.

Museu de apicultura, na Big Island Bees
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Seção de cosméticos, na loja da Big Island Bees
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Também me agradou muito o Tropical Blossom Blend Pure Hawaiian Honey, o mel cru da Hawaii Bee Company (P.O. Box 545, Naalehu), um apiário familiar situado no distrito de Ka‘u. Suas abelhas produzem mel com o néctar de diversas flores tropicais, como flores de macadâmia, manga, maracujá, pimenta-rosa e ohi‘a lehua, que crescem espontaneamente numa das partes mais remotas da Big Island, sem pesticidas. O manejo é sustentável, e as abelhas nunca recebem açúcar e nem xarope de milho com alto teor de frutose. Experimentei o produto no South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook) e trouxe um vidro de 13oz (368g), que custou US$8,00. Além disso, a empresa comercializa cera de abelha para uso cosmético e velas feitas de cera de abelha, que são vendidas também na loja Island Naturals (74-5487 Kaiwi Street, Kailua-Kona). É possível comprar diretamente no site da Hawaii Bee Company.

4. Farmers markets: São feiras semanais, em lugares predeterminados, que reúnem produtores locais de alimentos (incluindo opções orgânicas, veganas, sem glúten), bebidas, artesanato, produtos terapêuticos e cosméticos. Gostei muito de conhecer dois farmers markets: o Keauhou Farmers Market (78-6831 Ali‘i Dr, Kailua-Kona), que funciona aos sábados no estacionamento do Keauhou Shopping Center, em Kailua-Kona, a maior cidade do lado Oeste da Big Island, e o South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), que é realizado aos domingos no estacionamento do Amy B. H. Greenwell Ethnobotanical Garden, no distrito de South Kona. São movimentados, mas não intransitáveis, e de modo geral os expositores são atenciosos e tranquilos. Como os espaços ficam ao ar livre, pode fazer calor perto do meio-dia, então é recomendável chegar cedo.

Alguns produtores participam das duas feiras, como a Kona’s Earthly Delights Farm, uma fazenda orgânica e certificada de café 100% Kona Coffee, macadâmia, frutas e produtos como bolos, chocolates, cookies e a Lilikoi Butter, um dos meus doces preferidos. Pertence a Bacci Perata e Bonnie Perata, e sua equipe é especialmente simpática. A Lilikoi Butter consiste numa pasta leve, feita com maracujá (lilikoi, no idioma havaiano), açúcar, ovo, manteiga, limão e lima. Todos esses ingredientes são orgânicos.

Para mim, tanto a Lilikoi Butter quanto a Ka‘u Macadamia Nut Butter with Belgian Chocolate e o Tropical Blossom Blend Pure Hawaiian Honey combinam muito com as panquecas americanas que comemos em quase todos os cafés da manhã no Havaí, por isso eu trouxe na mala a Organic 7 Grain Pancake and Waffle Whole Grain Mix, que a minha irmã costuma usar. Com certificação orgânica do USDA, essa mistura para panqueca contém farinhas de sete grãos (centeio, milho, aveia, linhaça, quinoa, arroz vermelho e trigo, listado também nas variedades spelt e kamut), todos orgânicos e integrais, e tem nos trazido ótimas recordações da viagem. É da marca americana (porém não havaiana) Bob’s Red Mill, e pode ser encontrada nos supermercados Island Naturals (74-5487 Kaiwi Street, Kailua-Kona) e Choice Mart (82-6066 Mamalahoa Hwy, Captain Cook).

Luana Naturals (P.O. Box 1054, Captain Cook) é outra fazenda presente em ambas feiras. Comprei o Be Balm, um protetor labial que custou US$5,00 e também serve para outras partes do corpo. Composto de óleos vegetais de kukui, gergelim e abacate infundido com cúrcuma, manteiga de manga, cera de abelha, mel, sabor natural de manga e vitamina E, o produto vem num delicado potinho de plástico branco, de 7g, e é totalmente natural, sendo alguns ingredientes também orgânicos. O sabor de manga é sutil e nada açucarado. É enfatizada a utilização de insumos do Havaí. Seus proprietários Tim Bruno e Karen Kriebl fazem entregas internacionais, pela loja virtual.

Também vi nesses dois farmers markets a barraca da Kitchen of Creation (P.O. Box 1118, Captain Cook), uma fazenda de mamaki (Pipturus albidus). Essa planta havaiana pertence à família da urtiga e é endêmica, ou seja, é encontrada naturalmente apenas naquela região. Situado num dos lugares mais remotos do globo terrestre, o Havaí possui uma das maiores taxas mundiais de endemismo, com milhares de espécies com essa classificação. O chá de mamaki é consumido por suas propriedades medicinais revitalizantes, para aliviar cólicas e para desintoxicar o organismo após a exposição ao vog (abreviação de volcanic smog, que designa o nevoeiro contaminado por gases sulfurosos e resíduos emitidos pelos vulcões). Não contém cafeína. Ao comprar com Nataliya Dmitrieva um pacote de 1,1oz. (31,2g) de folhas desidratadas, ganhei de brinde um copo de chá gelado de mamaki, bem refrescante.

As peças de artesanato mais bonitas que pude admirar nessa viagem foram de Willa Marten e seu marido David Carlin, donos da Marten Pewter, uma empresa especializada em colheres de estanho — sem chumbo — e outros objetos decorativos feitos com esse metal. Além disso, Willa faz enfeites e bonecos com coco seco, conchas e pedacinhos de vidro que são trazidos pelo mar e vão sendo polidos pelo atrito com pedras vulcânicas, no vaivém das ondas, e David elabora acessórios com conchas pintadas à mão. O casal integra o South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook).

Objetos de estanho sem chumbo, da Marten Pewter
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Também fiquei impressionada com o Royal Mana Oil, da Ho‘omana Oils (P.O. Box 1023, Volcano). É produzido artesanalmente por Richard Probst e Sheila Probst, na sua fazenda em Volcano, uma localidade próxima ao vulcão Kilauea. O casal envia encomendas para todos os países. Comprei um vidro pequeno com Doreen Ho Parker, a representante deles no South Kona Green Market (82-6188 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), que me fez uma demonstração do produto com uma providencial massagem na nuca e nos ombros. De uso tópico, o Royal Mana Oil é apresentado como sendo hipoalergênico e é indicado pela marca para aliviar dores em geral, lesões esportivas, inchaço, psoríase, eczema, artrite, fibromialgia, reabilitação e cicatrização pós-cirúrgica. Os ingredientes são um blend exclusivo de ervas havaianas e óleo de semente de uva. As ervas se chamam haoui e aloli, vêm sendo usadas há muitas gerações e são colhidas em locais onde nascem espontaneamente.

No idioma havaiano, mana é a energia de cura que cada indivíduo possui. Já ho‘omana contém múltiplos significados (assim como ocorre com outras palavras havaianas), e o que está sendo usado pela marca é empoderamento. Tenho passado o Royal Mana Oil em algumas noites, seguindo a técnica usada por Doreen e as instruções dadas num cartão, e estou notando resultados positivos. O produto é vegano, preparado por meio de infusão a frio. Não é exatamente cheiroso, mesmo assim acho reconfortante o seu odor característico. Tem uma cor âmbar-esverdeada e não tem manchado as minhas roupas. O vidro de 1 fl.oz. (30ml) custou US$20,00. O frasco é de vidro azul-escuro, com tampa conta-gotas preta e rótulo verde, decorado com uma bela foto de uma samambaia. A Ho‘omana Oils oferece também outros produtos fundamentados na tradição herbalista havaiana.

Royal Mana Oil, da Ho‘omana Oils
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

5. Compra online: Encontrei a marca havaiana Mahalo Skin Care, de Maryna Kracht e Mark Kracht, pesquisando no Instagram, e fiquei curiosa para conhecer os produtos após ler as listas de ingredientes. Quando descobri que a loja virtual Aurora Beauty trabalha com essa marca e envia amostras gratuitas junto com as compras, para todos os países, escrevi um email perguntando se por acaso algumas amostras poderiam ser de produtos da Mahalo. Responderam que sim, então fiz uma encomenda semanas antes de viajar, usando o endereço da minha irmã e do meu cunhado para a entrega.

Recebi potinhos com dois produtos: a Pele Mask (uma ótima máscara facial desintoxicante, cujo nome homenageia a deusa havaiana do fogo e dos vulcões) e o Mahalo Balm (um bálsamo orgânico para o rosto que tem um cheiro maravilhoso, com notas de sândalo havaiano, lavanda e gerânio, além de ser muito eficiente para hidratar e acalmar a pele). A marca prioriza o uso de ingredientes locais e orgânicos. Os produtos, bastante sofisticados, são feitos à mão e acondicionados em embalagens de bambu, numa ilha havaiana chamada Kauai. A Pele Mask vem num pote com 1,7 fl.oz. (50ml) e custa US$64,00, já o Mahalo Balm vem num pote do mesmo tamanho e seu preço é de US$72,00. As listas de ingredientes são extensas, e podem ser consultadas no site da marca. No idioma havaiano, mahalo é a palavra utilizada para expressar gratidão.

Noni (Morinda citrifolia), uma fruta havaiana que faz parte
da lista de ingredientes da Pele Mask, da Mahalo Skin Care
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

6. Supermercados: Fundada por Russell Ruderman, a Island Naturals (74-5487 Kaiwi Street, Kailua-Kona) vende alimentos, bebidas, produtos de cuidado pessoal, suplementos e produtos de limpeza, todos naturais, e muitas vezes também orgânicos, e tem um bufê na entrada, para quem quiser fazer uma refeição ali mesmo. Além da loja que frequentamos, em Kailua-Kona, existem outras duas unidades na Big Island: a sede em Hilo e outra filial em Pahoa.

A minha filha se encantou com o perfume natural Coco-Mango, bem frutal e tropical, com notas de coco e manga, da marca havaiana Alohatherapy (P.O. Box 1597, Pahoa). Um vidrinho de 20ml custou US$6,99, mais o imposto de 4,166%. Além de perfumes naturais (todos diluídos numa base de óleo de amêndoa e óleo de jojoba) e óleos essenciais (incluindo óleos essenciais de flores locais como maile, tuberosa, jasmim-manga, gardênia, hibisco e jasmim pikake), o display da marca contém óleos vegetais de kukuitamanu e neem. Fica num amplo espaço no centro da Island Naturals, voltado exclusivamente a cosméticos feitos no Havaí.

Óleos essenciais, perfumes naturais e óleos vegetais  da Alohatherapy
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Nessa loja comprei também o Extra Mild Natural Soap, com o singular aroma de plumeria (jasmim-manga), da Captain’s Ohana Farm (84-4781 Mamalahoa Hwy, Honaunau). A barra de sabonete, com aproximadamente 4,5oz (127g), custou US$5,49, além do imposto local. Seus ingredientes são óleo de canola, óleo de coco, azeite de oliva, flocos de soda, cera crua de abelha, mel cru, aveia e fragrância de jasmim-manga. O sabonete é natural e efetivamente extra-suave, com um perfume adorável, e deixou a minha pele e o meu cabelo mais macios. Também pode ser adquirido na loja Blue Ginger Gallery (79-7391 Mamalahoa Hwy, Kainaliu), no distrito de South Kona. A fazenda pertence a Jack Turner e Tina Turner, e produz café 100% Kona Coffee, mel, cera de abelha, sabonetes, velas e 85 tipos de frutas exóticas e vegetais. Os fertilizantes são orgânicos, e não são utilizados pesticidas e nem herbicidas. O site da marca inclui uma loja virtual.

A Island Naturals trabalha também com outras marcas do Havaí, várias outras marcas americanas e algumas européias, além da brasileira Surya. Vi John Masters Organics, Badger, Weleda, Acure, Dr. Bronner’s, Andalou, Dr. Hauschka, Natracare, entre inúmeras outras, espalhadas em dezenas de prateleiras da seção de cosméticos.

Algumas prateleiras de cosméticos naturais e cosméticos orgânicos, na Island Naturals
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Outro estabelecimento com uma grande oferta de comida orgânica é o supermercado Choice Mart (82-6066 Mamalahoa Hwy, Captain Cook), já citado algumas vezes acima. Fica no distrito de South Kona. O hipermercado Costco (73-5600 Maiau St, Kailua-Kona), em Kailua-Kona, também tem alimentos orgânicos, em embalagens enormes para os padrões cariocas.

7. Livros, cartões e presentes: Os centros de visitantes dos parques nacionais, descritos em “Férias no Havaí, parte 1: passeios, acomodações e transporte na Big Island”, são ideais para quem estiver buscando livros sobre as riquezas naturais, a história e as tradições havaianas. Além disso, cada compra beneficia essas incríveis instituições. Visitamos os quatro parques nacionais localizados na Big Island:


No primeiro parque da lista, a minha filha escolheu um lindo guia sobre pássaros existentes no arquipélago havaiano — A photographic Guide to the Birds of Hawai'i: The Main Islands and Offshore Waters, de Jim Denny (Honolulu: University of Hawai'i Press, 2010; US$19,95) — e eu me decidi por um guia sobre plantas nativas do HavaíAmy Greenwell Garden Ethnobotanical Guide to Native Hawaiian Plants & Polynesian-introduced Plants, de Noa Kekuewa Lincoln (Honolulu: Bishop Museum Press, 2009; US$12,95). Foram bastante consultados durante a viagem, pois estávamos constantemente cercadas de plantas notáveis e pássaros fascinantes.

São vendidos também outros itens, como cartões postais, marcadores de livro, jogos, binóculos, além de bolsas, broches e acessórios com o tema de cada parque. E o Hawai‘i Volcanoes National Park conta também com outra loja de lembranças relacionadas com vulcões; fica dentro da Volcano House (1 Crater Rim Dr, Volcano), um estabelecimento que abriga também um restaurante e um hotel. Clientes do restaurante recebem um cupom de 10% de desconto na loja.

Outro lugar com uma considerável seleção de livros infantis e CDs com temas havaianos, além de cartões e brinquedos, é a livraria Kona Stories (78-6831 Ali‘i Dr Suite #142, Kailua-Kona), em Kailua-Kona. Fundada em 2006 por Brenda McConnell e Joy Vogelgesand, fica no Keauhou Shopping Center, perto do estacionamento que é ocupado aos sábados pelo Keauhou Farmers Market.

Inaugurada há quase trinta anos num trecho pitoresco de South Kona, a Blue Ginger Gallery (79-7391 Mamalahoa Hwy, Kainaliu) é uma loja com harmoniosas e coloridas pinturas originais, várias delas de autoria da sua proprietária, a artista plástica Jill Ami, e que se desdobram em gravuras, cartões, roupas e tecidos; além de joias, produtos de beleza, acessórios e objetos decorativos — todos no peculiar estilo havaiano. Minha filha levou belos cartões com golfinhos pintados (de US$1,00 a US$5,00), tatuagens temporárias de inspiração polinésia (US$6,50 cada cartela) e uma pequena coleira de cachorro (US$11,00), feita de tecido, com estampa de hibiscos. A coleira é de verdade, no entanto quem a usa são seus cãezinhos de pelúcia. A esses preços foi somado depois o imposto de 4,166%.

Embora Kailua-Kona tenha uma concentração muito maior de lojas, achei mais interessantes os lugares comentados acima.

RESTAURANTES

Como a minha irmã e o meu cunhado se tornaram moradores da Big Island e antes disso já haviam viajado para o Havaí diversas vezes, eles conhecem inúmeros outros restaurantes além dos sete que são descritos abaixo; esses são apenas os que visitamos dessa vez. De modo geral, é recomendável fazer reservas, as porções servidas são generosas, a água é cortesia da casa, o atendimento é cordial e eficiente. É comum ver ingredientes orgânicos, além de opções vegetarianas (e eventualmente veganas) e pratos sem glúten nos cardápios. Os clientes costumam se vestir de modo informal.

1. Mi’s Bistro (81-6372 Mamalahoa Hwy, Kealakekua): O chef Morgan Starr e sua esposa Ingrid Chan oferecem deliciosos e substanciosos pratos italianos, habilmente preparados com ingredientes frescos e locais, de excepcional qualidade. O atendimento gentil e o ambiente intimista, discreto e elegante tornaram o nosso jantar ainda mais especial. O restaurante está situado no distrito de South Kona.

2. Strawberry Patch (79-7491 Mamalahoa Hwy, Kealakekua): Um restaurante charmoso e acolhedor, dirigido pelas irmãs Amelia Antonucci e Maria Antonucci. Também está localizado no distrito de South Kona. A chef Amelia executa um cardápio de comfort food, com destaque para as sobremesas e uma primorosa entrada de queijo brie derretido com torradas, alho assado e frutas frescas.

3. Sam Choy’s Kai Lanai (78-6831 Ali‘i Dr, Keauhou): Um amplo e arejado restaurante de ótima comida havaiana, em Kailua-Kona. O cardápio elaborado pelo famoso chef Sam Choy apresenta uma boa variedade de pratos para crianças. Nosso almoço lá foi bem tranquilo, enfeitado com uma linda vista panorâmica do mar.

4. Ultimate Burger (74-5450 Makala Blvd E112, Kailua-Kona): Entramos ao acaso nessa lanchonete, em Kailua-Kona, e nos surpreendemos positivamente com a comida. O pequeno cardápio tem salada orgânica e uma opção de hambúrguer vegetariano, além de hambúrgueres de carne, de peixe e de frango.

5. Patz Pies (82-6127 Mamalahoa Hwy, Captain Cook): Ambiente despretensioso e agradável, com pizzas saborosas e bem temperadas, realmente muito boas. Fica no distrito de South Kona.

6. The Rim Restaurant, na Volcano House (1 Crater Rim Drive, Volcano): Localizado dentro do Hawai‘i Volcanoes National Park e recentemente reformado, é um restaurante de comida típica das ilhas havaianas, muito bem preparada com ingredientes locais. Ali experimentei o poi, que é servido como um dos acompanhamentos de diversos pratos. Um dos pilares da culinária do Havaí, o poi é preparado com taro — o tubérculo Colocasia esculenta, que aqui no Brasil também é conhecido como inhame-coco, inhame-dos-açores e inhame japonês. As mesas têm uma sensacional vista panorâmica da imensa Halema‘uma‘u Crater, no cume do vulcão Kilauea.

Vista panorâmica do vulcão ativo Kilauea, em frente ao restaurante da Volcano House
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

7. Merriman’s Waimea (65-1227 Opelo Road, Kamuela): Fundado em 1988 numa área com predomínio da atividade pecuária, no Norte da Big Island, é o restaurante mais emblemático e premiado do chef Peter Merriman, um pioneiro do que ele chama de Hawaii Regional Cuisine. Estabelecendo parcerias sólidas com fazendeiros e pescadores locais que também são adeptos de práticas sustentáveis, o restaurante oferece alimentos extremamente frescos e sazonais, no auge do seu sabor. Nosso almoço no Merriman’s Waimea, a caminho do Pololu Valley (Highway 270, North Kohala), foi memorável, numa mesa bem ao lado da bela horta orgânica do restaurante, aberta para visitação.

NO FUTURO

Além de fazer passeios turísticos, a viagem tinha outros objetivos para mim e para a minha filha: matar as saudades da Cindy, do John e dos cachorros deles, descansar bastante, aproveitar tanto quanto possível a presença de golfinhos na Kealakekua Bay. E, no meu caso, pesquisar produtos orgânicos para o blog. Minha irmã e meu cunhado tinham também as tarefas relacionadas ao Dolphin Dreams Kealakekua, que está bem concorrido.

Vista panorâmica da Kealakekua Bay, em frente ao Dolphin Dreams Kealakekua
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

Por conta desses e outros fatores, várias atividades em Kona foram deixadas de lado, como mergulhar à noite com arraias-manta, contemplar os petroglifos do Kaloko-Honokohau National Historical Park (73-4786 Kanalani St Unit 14, Kailua-Kona), assistir a um espetáculo no Aloha Theatre (79-7384 Mamalahoa Hwy, Kainaliu), fazer uma visita completa a uma fazenda de café, explorar mais o Pu‘ukohola Heiau National Historic Site (62-3601 Kawaihae Road, Kawaihae), apreciar o Amy B. H. Greenwell Ethnobotanical Garden, experimentar a massagem havaiana lomi lomi e ir a outras praias, como a Keei Beach, indicada para surfe, pesca e snorkeling. Além disso, existem áreas na Big Island que não visitamos: o lado Leste, no entorno de Hilo, que entre outras atrações possui cachoeiras maravilhosas, e a região do vulcão adormecido Mauna Kea, que está coberto de neve e reúne condições ideais para a observação astronômica (é o ponto mais alto do Havaí e também a montanha mais alta do mundo, se forem considerados os metros abaixo do nível do mar). Sem falar em todas as demais ilhas do arquipélago... Temos muitos motivos para planejar novas viagens ao Havaí!

O amanhecer na Kealakekua Bay, visto da praia
que está situada em frente ao Dolphin Dreams Kealakekua
Clique na imagem para ampliar [Fotos de Michelle C., Tantas Plantas]

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

LEIA TAMBÉM:

7 comentários:

Rena disse...

Ameeeei o post, que paraíso tudo! Parabens Mi, está lindíssimo :) :)
bjwussss

Michelle C. disse...

Muito obrigada, Rena, que bom que você gostou tanto! Beijos! :D

Anônimo disse...

Fala sério,um visual lindíssimo,mel com canela,sabonete de jasmim manga e balm com sandalo,lavanda e gerânio,vou me mudar prá lá.
Bjs
Lucia

Michelle C. disse...

Acho uma ótima ideia, Lucia! Dá vontade mesmo de fazer isso! Beijos :D

Veronica disse...

Oi Michelle, graças a vc descobri os sabonetes naturais, tenho uma dermatite de contato nas mãos faz muito tempo, so que de uns tempos pra ela nao me deixa mais, todos os dias a mão ta ruim, comprei os sabonetes e shampoos da fefa, e pode usufruir de algumas semanas com a mãos sem feridas, mas agora voltou...
mas melhor q antes.. obrigada pelas suas dicas..
queria saber o que vc acha desses ingredientes pra uma mascara pros cabelos, se vc puder olhar é claro!

Water (Aqua), Cetyl Alcohol, Cocos Nucifera (Coconut) Oil, Behentrimonium Methosulfate, Butyrospermum Parkii (Shea) Butter*, Glycerin (Vegetable), Stearyl Alcohol, Behentrimonium Chloride, Panthenol, Trichilia Emetica (Mafura) Seed Oil, Honey, Hydrolyzed Rice Protein, Fragrance (Essential Oil Blend), Adansonia Digitata (Baobab) Seed Oil, Cetrimonium Chloride, Persea Gratissma (Avocado) Oil, Ficus (Fig) Extract, Mangifera Indica (Mango) Seed Butter *, Tocopherol, Aloe Barbadensis Leaf Extract, Caprylhydroxamic Acid, Caprylyl Glycol, Butylene Glycol Butter *

Obrigada por me ajudar..

Michelle C. disse...

Oi, Veronica, obrigada pelo comentário! Peço desculpas pela demora para responder.

Para mãos com dermatite, além de usar sabonetes menos agressivos e totalmente naturais, acho importante hidratar com muita frequência, ao longo do dia todo, e antes de deitar. Se possível, toda vez que lavar as mãos e sempre que sentir que a pele está ressecada. Pode parecer trabalhoso e requer persistência, mas posso dizer por experiência própria que vale a pena e é possível se acostumar com essa repetição. Em dias quentes e úmidos, e quando a pele estiver recuperada, talvez você não precise hidratar tantas vezes.

Uma sugestão para usar durante o dia é a Loção Corporal Açaí Chocolate, da Ikove (resenha em http://bit.ly/1OROGT8). É nacional, orgânica e mais leve, então não deixa as mãos pegajosas. Se precisar de uma loção que hidrate mais, uma opção orgânica, não muito oleosa e disponível no Brasil (embora seja fabricada na Alemanha) é a Loção Hidratante Corporal de Calêndula, da Weleda (resenha em http://bit.ly/1SfGifj). Em áreas mais ressecadas como ao redor das unhas, pode ser melhor reforçar com uma manteiga, como a Manteiga de Murumuru, da Ewé (resenha em http://bit.ly/1N5opzr), e a Creamy Cocoa Butter Every Day Body Moisturizer, da Badger (resenha em http://bit.ly/1s2S6br). Também é interessante fazer esse reforço nas mãos inteiras, na hora de dormir.

E uma pomada que alivia bastante é a Calêndula Babycreme, também da Weleda (resenha em http://bit.ly/1SfGifj). Não é um medicamento para dermatite, e sim uma pomada para assaduras em bebês, mas noto que ela ajuda a melhorar lesões de dematite atópica.

Quanto à composição dessa máscara para cabelos, o Behentrimonium Chloride e o Cetrimonium Chloride têm nota 3 (cor laranja) na base de dados do EWG (https://www.ewg.org/skindeep/). Não localizei o Caprylhydroxamic Acid lá, mas o site Truth in Aging tem algumas informações (https://www.truthinaging.com/ingredients/caprylhydroxamic-acid). Seria bom você mesma pesquisar cada item nesses sites (e em outros), para se certificar.

De modo geral, o produto parece ter uma formulação segura, sem ingredientes com alto potencial nocivo, mas convém frisar que estou dando uma opinião leiga, baseada apenas em pesquisas feitas por esses dois sites. Não sou uma profissional das áreas de farmácia e química.

Se quiser contar depois sobre os resultados, terei o maior interesse em saber!

Edson Nascimento disse...

Tenho usado em dermatites. Dois compostos da floresta amazonica. E tem dado excelenteexcelentes resultados em quem tem dermatites. Edson. Kathleen740@gmail. Com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...