sábado, 2 de janeiro de 2016

Resenha: óleo de jojoba orgânica, da Balm Balm e da Desert Essence, e óleo de coco orgânico, da Dr. Orgânico — para o cabelo, o corpo e o rosto

Meu primeiro contato com o conceito de tratamento pré-xampu (também conhecido como umectação) ocorreu em 1996. Numa viagem pela Inglaterra, comprei uma máscara de azeite de oliva com argila cujas instruções de uso diziam que ela devia ser aplicada no cabelo seco e removida no banho após 20 minutos, lavando os fios normalmente. Adorei o resultado e o procedimento, apesar de ser completamente diferente do que eu estava acostumada — as máscaras de hidratação convencionais daqui costumam ser usadas na ordem inversa, com o cabelo molhado e já lavado.

Lembrei dessa experiência quando comecei a fazer umectação com óleos vegetais orgânicos, em 2011. Continuo mantendo esse hábito, tanto no couro cabeludo (à moda indiana) quanto apenas nos fios. Tento fazer o tratamento uma vez por semana, em casa. Nos últimos meses, tenho ficado muito satisfeita com uma mistura de 1 parte de óleo de jojoba orgânica e 2 partes de óleo de coco virgem e orgânico. Utilizo-a no cabelo, no rosto e no corpo.

Óleo de jojoba orgânica, da Desert Essence e da Balm Balm
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

Meus óleos de jojoba orgânica são o Organic Jojoba Oil, da marca norte-americana Desert Essence, e o Jojoba Base Oil, da marca inglesa Balm Balm. Comprei o primeiro na iHerb (http://www.iherb.com/; mais informações sobre o site em “Loja virtual: iHerb”) e o segundo na Feel Unique (http://www.feelunique.com/; mais informações em “Loja virtual: Feel Unique”). As duas lojas entregam no Brasil, pelo correio. Já fiz várias compras em ambas.

Os dois itens possuem a mesma composição: óleo de jojoba (Simmondsia chinensis) orgânica. São prensados a frionão contêm aditivos e não são testados em animais. São produtos veganos100% naturais100% orgânicos; o óleo da Desert Essence é certificado pela USDA, já o óleo da Balm Balm é certificado pela Soil Association.

O óleo de jojoba na verdade é uma cera líquida, que pode se solidificar e se tornar opaca em baixas temperaturas. A coloração é amarela e intensa, como se pode ver na foto acima — o frasco da direita é incolor e translúcido, então a cor que se vê é do óleo propriamente dito. Tem um aroma discreto e característico, que acho mais agradável do que desagradável. Bastante estável, não se deteriora com facilidade. De acordo com informações dadas nos sites das duas marcas, esse óleo vegetal hidrata sem deixar resíduos (inclusive após o barbear), limpa poros obstruídos, ajuda a evitar a descamação do couro cabeludo, é adequado para todos os tipos de pele (até mesmo as sensíveis) e é indicado também para o cabelo. Não deve ser ingerido. O óleo de jojba é extraído das sementes de um arbusto nativo do sudoeste norte-americano.

Organic Jojoba Oil, da Desert Essence, vem numa garrafinha de plástico, sem cor e sem BPA (bisfenol-A), com tampa plástica marrom, do tipo flip-top, contendo 118ml. Está custando US$11,99 na iHerb. O Jojoba Base Oil, da Balm Balm, vem numa garrafinha de vidro âmbar, com tampa de plástico preto, e 100ml. Custa £12,60 na Feel Unique. Ambos possuem validades longas, de anos. As duas embalagens são boas para reutilização, e a da Balm Balm é superior, por ser de vidro, escura e melhor para transportar em viagens, pois não vaza. Já procurei óleo de jojoba orgânica em lojas nacionais e só o encontrei no site brasileiro da marca alemã Alva. O preço do vidro de 125ml é de R$98,90. É certificado pela Ecocert.

Óleo de coco orgânico, da Dr. Orgânico
Clique na imagem para ampliar [Foto de Michelle C., Tantas Plantas]

Já o Óleo de Coco Virgem Orgânico que uso é da marca brasileira Dr. Orgânico, que importa o produto das Filipinas. Possui certificação orgânica do USDA, da Ecocert e do SisOrg (Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Aprecio o aroma suave do óleo de coco dessa marca. Contém um único ingrediente: óleo de coco (Cocos nucifera) orgânico. Também é um produto vegano100% natural100% orgâniconão contém conservantesnão é testado em animais e não é refinado, e sim prensado a frio. Tem longa validade.

Pode ser ingerido e usado em receitas culinárias. O óleo de coco é incolor e se torna sólido e opaco em temperaturas abaixo de 27 graus. Para que ele volte a ser líquido e transparente, basta colocar o vidro num recipiente com água morna por alguns minutos. Somado ao óleo de jojoba, permanece líquido em dias mais amenos.

Está disponível em vários tamanhos. O pote que aparece na foto é de vidro sem cor, com tampa de rosquear feita de metal. Contém 300ml de óleo de coco orgânico e custa R$39,00 na loja virtual da Dr. Orgânico (http://loja.dr-organico.com.br/). Rende muitas e muitas aplicações, e é ideal para reutilizar na cozinha. Compro na Loja Orgânica, que integra o Circuito Carioca de Feiras Orgânicas (o telefone para informações e agendamento de entregas é (21) 3238-5190), e na Casa Vitana (Rua João Lira 98, Leblon, telefone (21) 2540-5303).

Quanto às formas de usar a combinação de 1 parte de óleo de jojoba orgânica e 2 partes de óleo de coco virgem e orgânico, as minhas favoritas são:

  • Umectação: Espalho com os dedos aproximadamente 5ml da mistura no couro cabeludo e nas pontas dos cabelos, massageando lentamente. No procedimento, os óleos acabam cobrindo também o comprimento dos fios. Pode-se usar uma quantidade maior, mas prefiro não exagerar. Eventualmente coloco os óleos somente no cabelo. Depois de uma hora — ou menos, se estiver com pouco tempo —, enxáguo o excesso de óleo no banho, com água morna, e uso os meus produtos capilares habituais: xampu sólido (um tipo de sabonete natural que pode ser utilizado no cabelo) e condicionador. Deixo secar naturalmente. Ao final, o cabelo fica fortalecido, maleável e bem tratado. Em geral, uma aplicação de xampu sólido é suficiente para mim. Acho que isso se deve à estrutura do meu cabelo, à minha técnica de massagem e lavagem, e ao meu chuveiro, que é razoavelmente potente. Lavo o meu cabelo com sabonetes naturais e artesanais diariamente, desde dezembro de 2011. A aplicação é bastante simples: passo a barra de sabonete na cabeça bem molhada, como se estivesse pintando faixas (com atenção especial à parte de trás, perto da nuca), em seguida massageio com as pontas dos dedos, levando a espuma por todo o comprimento do cabelo, aguardo um minuto e enxáguo com água morna.
  • Remoção de maquiagem: Passados na pele com um chumaço de algodão ou um lenço de papel, sem esfregar, os óleos retiram toda a maquiagem, incluindo máscara para cílios.
  • Hidratação: Depois de testar várias formas de hidratação, percebi que o melhor para a minha pele com tendência a dermatite atópica é passar uma loção e em seguida óleos ou manteigas vegetais nas áreas mais ressecadas, como as pernas, os joelhos, os cotovelos e as bochechas. O óleo de jojoba e o óleo de coco são ótimos para fazer esse reforço e manter a pele saudável e livre de lesões.
  • Depilação: Os dois óleos me dão bons resultados tanto no momento de depilar, facilitando muito o deslizar da lâmina, quanto após a depilação, deixando a pele macia e com um leve brilho acetinado.
  • Massagem: Gosto bastante dessa mistura de óleos para fazer massagens corporais e faciais (com ou sem óleos essenciais). São óleos carreadores muito usados em aromaterapia e na perfumaria artesanal — principalmento o óleo de jojoba.

Tanto o óleo de jojoba orgânico quanto o óleo de coco virgem e orgânico desempenham bem as funções mencionadas se forem usados individualmente, mas para mim funcionam ainda melhor quando mesclados. Gosto de somar o óleo de jojoba ao óleo de coco pelas seguintes razões:

  • Acho mais fácil tirar o excesso da mistura do cabelo, em comparação com os óleos separados.
  • Sinto que essa combinação é mais facilmente absorvida pela pele.
  • Fazendo uma sinergia com os dois óleos, aproveito os benefícios de ambos.
  • Amo o cheiro natural do óleo de coco, e esse é o aroma predominante da sua combinação com o óleo de jojoba.

Cada pessoa tem um conjunto específico de características e preferências. Outros óleos vegetais podem usados para as mesmas finalidades, e o guia “Aromaterapia: onde encontrar óleos vegetais orgânicos” pode ser útil para quem também tem interesse em opções orgânicas. A título de referência: meu cabelo é normal, com tendência à oleosidade na raiz, liso, castanho escuro e mais grosso do que fino; minha pele é seca no corpo e mista no rosto, com nariz oleoso e bochechas secas. Tenho conseguido cuidar bem da minha pele atópica com produtos orgânicos e a adoção de medidas para tornar a minha rotina mais saudável e menos estressante; os detalhes podem ser vistos no texto “Meu relato sobre dermatite atópica e o uso de produtos naturais com ingredientes orgânicos”.

OBSERVAÇÃO: Alergias e irritações na pele podem ser desencadeadas por uma infinidade de substâncias. Antes de começar a usar qualquer produto, inclusive os naturais e orgânicos, convém fazer um teste, aplicando uma camada numa área como o antebraço, perto da dobra do cotovelo, e observando se ocorre alguma reação durante o contato com o produto por um grande número de horas.

2 comentários:

Ana Paula Magalhães disse...

Adorei o blog, linda. Também tenho dermatite atópica e resolvi investir no óleo de coco para hidratação, comecei ontem e tô adorando. Gostaria de saber qual é a loção que você usa para hidratar a pele antes de aplicar a combinação de óleo de coco + jojoba? beijos

Michelle C. disse...

Olá, Ana Paula, obrigada pelo comentário. Peço desculpas pela demora para responder! A loção que mais tenho usado ultimamente é a Loção Hidratante Corporal de Calêndula, da Weleda (resenha em http://tantasplantas.blogspot.com.br/2015/12/resenha-produtos-hidratantes-da-linha_25.html).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...